Polícias apreendem 107 toneladas de drogas de janeiro a setembro

Documento foi analisado com a quantidade de drogas apreendidas em cada município do estado
As maiores apreensões foram em Foz do Iguaçu, Cascavel, Curitiba e região metropolitana e Pato Branco (Foto: AEN)

As forças policiais do Estado tiraram de circulação cerca de 107 toneladas de drogas de janeiro a setembro deste ano. O balanço referente às apreensões foi divulgado em relatório do Centro de Análise, Planejamento e Estatística, da Secretaria da Segurança Pública do Paraná, nesta sexta-feira (20).

O documento traz a quantidade de drogas apreendida em cada município. A maconha foi o entorpecente mais recolhido em todo o Paraná. Foram 101,5 toneladas, o que corresponde a uma média de 376 quilos apreendidos por dia. O volume é 34% maior, na comparação com o mesmo período do ano anterior, quando foram interceptadas 75,7 toneladas.

A cocaína foi a droga que teve maior aumento nas apreensões (231%). Foram 4,4 toneladas de janeiro a setembro de 2019 e 1,3 tonelada no mesmo período do ano passado. Em uma única apreensão, em julho deste ano, foram interceptadas em torno de 3 toneladas em Guaratuba, no Litoral.

Com relação ao crack, foi retirada de circulação 1,2 tonelada do entorpecente, quantidade 71,5% maior do que a registrada de janeiro a setembro de 2018, quando foram recolhidos 717 quilos.

Para o secretário da Segurança Pública, coronel Rômulo Marinho Soares, essa é mais uma estatística do Estado que demonstra o bom desempenho das ações desenvolvidas pelas polícias. “Toda a droga apreendida é resultado de grandes investigações e prisões, o que mostra que a segurança pública do Paraná tem agido incansavelmente em todas as esferas para garantir uma melhor qualidade de vida a toda a população”, disse.

Ele afirmou ainda que, independente da região onde a droga é apreendida, a ação beneficia todo o Estado. “Os entorpecentes geralmente têm grande circulação, então, quando apreendemos em Curitiba, por exemplo, evitamos que esta droga chegue também à população de outros municípios do Estado, ou até de outras localidades do País”, completou.

No mesmo período também foram apreendidas 40.640 unidades de ecstasy, com uma pequena redução em relação ao ano anterior, com 47.052 unidades. Além disso, as polícias paranaenses apreenderam 32.449 unidades de LSD, quantidade 154% superior a de 2018, quando houve registro de12.770 unidades.

ATUAÇÃO

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Péricles de Matos, ressaltou que as apreensões são resultado de ações realizadas em todo o Estado. “Nós estamos blindando a fronteira de modo a impedir que o narcotráfico e, consequentemente, os derivados, entrem no território paranaense e cause a corrupção da nossa juventude. Foram estabelecidas linhas de ação, diversos bloqueios, através do policiamento ostensivo, além das operações de batalhões e interceptações em diversas regiões”, explicou.

“Paralelo a isso, nos grandes centros, Londrina e Curitiba, realizamos operações de inteligência em cima das redes de traficantes locais. Tivemos ainda uma grande operação no Litoral, com apreensão de três toneladas de cocaína” destacou o comandante.

Segundo o delegado-geral da Polícia Civil, Silvio Jacob Rockembach, a instituição tem colaborado cada vez mais com ações que influenciam no aumento no número de apreensões de drogas.

“Foram feitas reestruturações, principalmente nos núcleos da Divisão Estadual de Narcóticos que operam nas regiões de fronteiras do Paraná. Isso tem resultado em uma melhora da integração e em uma melhor qualidade nas investigações e, consequentemente, no aumento no número de apreensões. Só da Polícia Civil, a quantidade de drogas apreendidas esse ano corresponde a R$ 40 milhões”, ressaltou Rockembach.

Ele comentou acrescentou que a retirada de drogas de circulação e o combate ao tráfico inibe a ocorrência de outros crimes. “O percentual de homicídios relacionados ao tráfico de drogas é muito alto, e uma das nossas estratégias é combater o tráfico, o que impacta também na redução do número de homicídios”, concluiu.

DENÚNCIAS

A Secretaria do Estado de Segurança Pública recebe denúncias por meio dos telefones 190, da Polícia Militar, e 181, do Disque Denúncia. A população pode fazer denúncia anônima e as informações são encaminhadas aos órgãos competentes, auxiliando na prisão de autores de crimes, na busca de foragidos e apreensão de drogas e contrabando, além da busca de pessoas desaparecidas.


Veja Também