Prefeitura de Teixeira Soares trabalha diariamente na prevenção de queimadas no município

Além do trabalho do Corpo de Bombeiros, a Prefeitura,realiza constantemente o monitoramento para evitar a proliferação dessa prática na cidade
Fagulhas dos escapes dos motores provocaram incêndio na mata ciliar (Foto: Reprodução/Whatsapp)

Em 2019, segundo a medição do Programa Queimadas do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), foram registrados mais de 67 mil pontos em todo o país. Apesar dos números dessa prática serem baixos na região, a ação ainda é motivo de alerta para as autoridades, nos últimos 14 meses o 2º GB do Corpo de Bombeiros de Irati, contabilizou na região 264 casos de incêndio em vegetações. Na última semana foi registrado uma ocorrência na rodovia 438 Teixeira Soares – Guaragi, funcionários que estavam fazendo roçada no local apagaram o fogo, evitando que o fogo chegasse na lavoura de soja.

Em Teixeira Soares, além do trabalho do Corpo de Bombeiros, a Prefeitura, através da Secretaria de Meio Ambiente, realiza constantemente o monitoramento para evitar a proliferação dessa prática na cidade. “É comum a ocorrência de queimadas e incêndios florestais nesta época do ano, sobretudo por fatores climáticos (ventos e calor) e pelo uso indiscriminado do fogo. A prática de fazer queimadas já é uma questão cultural e recorrente, porém a população pode fazer sua parte, por meio de ações simples, como não colocar fogo em lixo doméstico e fazer aceiros ao realizar queimas em área rural no preparo do solo para o plantio (atividade esta, que deve ter autorização ambiental) ”, explica a secretária do Meio Ambiente, Ecologia e Recursos Hídricos, Patricia Rodrigues de Almeida de Lima.

Patrícia ainda completa que a pasta está de portas abertas para as dúvidas dos munícipes. “Estamos disponíveis para auxiliarmos a todos, encaminhamos para os que necessitam ao IAP para que tenham autorização para queimadas regularizadas e sempre procuramos ajudar a todos da melhor forma”, finaliza.

Quais os prejuízos das queimadas

As queimadas correspondem a uma das técnicas agrícolas mais primitivas da história do homem. No Brasil há registros da utilização das queimadas desde o período colonial, quando já era usada para retirada da cobertura vegetal original antes do plantio e ou formação de pastagem.

Por ser uma técnica rápida e barata, ainda é muito utilizada no meio rural. Além do custo e rapidez, a queimada é considerada por alguns agricultores como uma ferramenta de fertilização do solo. Uma vez que as cinzas que restam após a passagem do fogo, seriam uma espécie de adubo natural.

Considerando apenas o aspecto da retirada da vegetação original, as queimadas provocam a alteração o equilíbrio dos ecossistemas das mais distintas paisagens, uma vez que impacta diretamente, na manutenção da fauna, na circulação de águas superficiais e subterrâneas, nas condições de temperatura e umidade, na liberação de vapor de água na atmosfera.


Veja Também