Produtores iratienses visitam o Projeto Centro-Sul de feijão e milho

Comitiva de Irati, organizada pela Secretaria Municipal de Agricultura e Emater, foi até Castro participar de dia de campo.
46 produtores de Irati puderam aprender mais sobre o cultivo de feijão e milho na 19ª edição do evento que ocorreu em Castro (Foto: Acessoria PMI)

Produtores iratienses visitaram na última quarta feira (13), a Estação Experimental da Fundação ABC, em Castro, participando da Semana de Campo do Projeto Centro-Sul de Feijão e Milho. A visita técnica foi oferecida gratuitamente aos participantes.

Um ônibus saiu de Irati, às 6h30, levando, além dos agricultores, integrantes da Secretaria de Agricultura de Irati que, em parceria com a Emater, organizou esta visita técnica de fechamento dos dias de campo sobre os dois produtos. Esta foi a 29ª edição do evento do Projeto Centro-Sul de Feijão e Milho, que reuniu perto de 1.900 agricultores familiares, estudantes e técnicos durante sua duração. Ao todo, 46 pessoas da região de Irati foram levadas até a semana de campo.

A comitiva permaneceu o dia todo na Fundação ABC, que também ofereceu o almoço aos participantes. O ônibus de transporte foi custeado pela multinacional Syngenta, especializada em sementes e produtos químicos voltados para o agronegócio e desenvolvimento de tecnologias para o mercado agrícola.

No evento, os produtores acompanharam noções de híbridos e controle de pragas e plantas invasoras na cultura do milho, agricultura sustentável (plantio direto e plantas de cobertura), seleção de cultivares e controle de plantas invasoras, pragas e doenças do feijoeiro e orientações sobre o uso do equipamento de proteção.

O evento foi organizado através de uma parceria entre a Fundação ABC, Emater, Embrapa, Iapar, IAC, Governo do Paraná e prefeituras municipais.

Produção

A ida desta comitiva à Semana de Campo do Projeto Centro-Sul de Feijão e Milho é bastante importante para os produtores locais, já que o município de Irati tem boa expressão no plantio destas culturas.

Segundo o Núcleo Regional da SEAB, só município de Irati, as áreas plantadas nesta safra 2018/2019, e que está sendo colhida agora, são de 8.910 hectares de milho e 15.300 hectares de feijão.

De acordo com o secretário de Agricultura de Irati, Raimundo Gnatkowski, o Mundio, “observamos aqui a importância desse trabalho desenvolvido já há tantos anos. Toda a pesquisa que eles realizaram está presente na agricultura de Irati, onde temos uma produção de cinco toneladas por hectare, próximo a 200 sacas por alqueire”.

“E o milho, da mesma forma, viu sua produção aumentar devido à tecnologia e pesquisa investidas na semente e boas práticas na cultura”.

Projeto Centro-Sul de Feijão e Milho

O Projeto Centro-Sul de Feijão e Milho tem por objetivo a profissionalização de agricultores familiares nas culturas de feijão e milho. É uma iniciativa do IAPAR, Emater/PR, Syngenta, Embrapa Arroz e Feijão, Fundação ABC e prefeituras municipais da região.

Na safra 2017/2018 o projeto atuou em 46 municípios. Nas áreas trabalhadas, a produtividade média foi 1,65 vez superior à média do Estado, e 2,45 vezes superior à média nacional para a cultura do feijão.

A Região Sul concentra a maior parcela da produção de feijão, que soma quase um milhão de toneladas e representa em torno de 30% do total produzido no País. O Paraná destaca-se no cenário da produção brasileira, participando com 710 mil toneladas ou 21 % do total de cerca de 3,3 milhões de toneladas produzidas em 2016/2017.  A posição é reforçada principalmente pela produção de feijão preto, no qual o Paraná é o maior produtor.

Já o milho é uma das culturas mais antigas e o cereal mais produzido no mundo. A importância econômica do milho é caracterizada pelas diversas formas de sua utilização, desde a alimentação animal e humano, até a indústria de alta tecnologia. O Brasil ocupa a 3ª posição na produção mundial e o Paraná a 2ª na produção brasileira, participando com aproximadamente 20% da produção nacional.

Fundação ABC

A Fundação ABC é uma instituição de caráter particular, sem fins lucrativos, que realiza pesquisa aplicada para desenvolver e adaptar novas tecnologias, com o objetivo de promover soluções tecnológicas para o agronegócio aos mais de 4,8 mil produtores rurais filiados das Cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, além dos agricultores contribuintes, como os da Coopagricola (Ponta Grossa-PR) e do grupo e BWJ (Formosa-GO).

A atuação da fundação abrange uma área de 451,5 mil hectares, além de uma bacia leiteira de mais de 1,5 milhão de litros diários.

Ainstituição também realiza projetos de pesquisa com empresas privadas, através de contratos de cooperação técnica e mantém vínculos com empresas de pesquisa pública como IAPAR, EMBRAPA e importantes universidades do Brasil.

A sede está localizada na rodovia PR-151, km 288, no município de Castro-PR. É onde ficam os laboratórios. Além disso, possui quatro Campos Demonstrativos e Experimentais, que totalizam uma área aproximada em 205 hectares..


Veja Também