Projeto desenvolvido por Copel e Simepar vai antecipar riscos de desligamentos

A Copel e o Simepar (Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná) estão desenvolvendo um modelo matemático que estimará com antecedência os riscos de desligamentos de energia elétrica causados por eventos meteorológicos severos. 

O projeto P&D PD-02866-0526/2019 (Estimativa e classificação de riscos de desligamentos em redes de distribuição de energia utilizando previsões meteorológicas de curto prazo e soft computing) tem financiamento do programa de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) regulado pela Agência nacional de energia Elétrica (Aneel).  

Com base em informações de previsão e monitoramento meteorológico de curto e médio prazos, alertas qualificados serão transmitidos à Copel em forma de mapa. O processo será automatizado e padronizado por meio de inteligência artificial que integrará informações provenientes do Satélite Goes-16, radares, estações hidrometeorológicas de superfície, detecção de raios e previsões dos modelos numéricos. 

Precisão 

    O novo modelo será uma ferramenta muito significativa para aumentar a eficiência e aprimorar a qualidade na prestação de serviços, reagindo às ocorrências com a maior precisão possível, pois toda a infraestrutura da rede costuma ser afetada, inclusive pelos eventos de menor magnitude”, observa o gerente da Divisão de Procedimentos de Operação da Copel Distribuição, Marcos Vinicius de Oliveira Cardoso. 

Eventos como o ciclone extratropical que atingiu o Paraná em 30 de junho deste ano serão enfrentados com agilidade devido à inteligência do projeto. Ao receber o alerta qualificado, a Copel poderá organizar toda a logística de atendimento, que inclui equipes de eletricistas, técnicos em operação e manutenção, equipamentos, ferramental, materiais e veículos, para atuar com agilidade em rompimento de cabos, queda de postes, queima de fusíveis e transformadores, entre outros danos. 

      Estamos com bastante expectativa que esse P&D contribua significativamente para a melhoria dos processos, principalmente para a evolução da agilidade do nosso atendimento a eventos climáticos graves como este último ciclone”, reforça o gerente do Departamento de Gestão da Inovação da Copel Distribuição, Gustavo Klinguelfus. 

 

 

Estratégico 

Para o diretor do Simepar, Eduardo Alvim Leite, “este P&D com a Copel se enquadra como projeto estratégico, que visa atingir um novo patamar de uso das informações ambientais no setor elétrico em que os dados e as previsões, suas magnitudes e incertezas são combinadas e otimizadas em um sistema de suporte à decisão”, afirma o diretor presidente, Eduardo Alvim Leite. 

Segundo o pesquisador e meteorologista Leonardo Calvetti, o mapa mostrará os locais da rede de energia elétrica mais vulneráveis a raios, ventos e chuvas fortes. “Será possível indicar o vento que poderá influenciar o desligamento e quantas unidades consumidoras estarão em risco”, afirma Calvetti.  

O P&D PD-02866-0526/2019 deve estar finalizado em trinta meses. 

P&D Copel 

As empresas concessionárias de serviço público de distribuição, geração ou transmissão de energia elétrica, devem aplicar anualmente um percentual mínimo da sua receita operacional líquida no programa de pesquisas e desenvolvimento tecnológico do setor de energia elétrica. São programas de P&D, segundo regulamentos estabelecidos pela Aneel. 

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 

 

 

As ações da Copel para antecipar riscos de desligamentos estão relacionadas ao ODS 7 - energia Limpa e Acessível, que tem entre suas metas o objetivo de expandir a infraestrutura e modernizar a tecnologia para o fornecimento de serviços de energia modernos e sustentáveis. 

Também estão diretamente relacionadas ao ODS 13 - Ação Contra a Mudança Global do Clima, que procura reforçar a resiliência e a capacidade de adaptação a riscos relacionados ao clima e às catástrofes naturais. 

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são uma agenda mundial adotada durante a Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável em setembro de 2015 composta por 17 objetivos e 169 metas a serem atingidos até 2030. São uma chamada universal para acabar com a pobreza, proteger o planeta e garantir que todas as pessoas desfrutem de paz e prosperidade. A Copel se comprometeu com os ODS em 2016 e tem realizado muitas ações envolvendo todas as suas subsidiárias em prol da Agenda 2030. 


Veja Também