Projeto na Flona busca envolvimento da comunidade com a natureza

Atividade é promovida por funcionários e voluntários da Floresta Nacional de Irati. Até novembro, mais sete trilhas serão realizadas
["Grupo que participou da primeira edi\u00e7\u00e3o da Trilha Noturna em 2019, mais sete devem acontecer neste ano."] (Foto: Edson Lopes)

No sábado (09), foi realizada a primeira Trilha Noturna do ano, na Floresta Nacional de Irati (Flona) – ICMBio. A atividade em grupo, de cerca de quatro horas, percorre duas trilhas com explanação do trabalho da entidade, lendas locais, apreciação do céu e visita ao Ecomuseu. Ainda haverá mais sete trilhas noturnas até o mês de novembro. A ação, que é promovida pelos funcionários e equipe de voluntários, visa a contemplação à natureza e o envolvimento da comunidade da região, sendo uma ótima opção de passeio.

O projeto da Trilha Noturna existe desde 2017, começando com um grupo pequeno e, depois da participação de voluntários, foi ampliado no ano passado. “Tem gente que mora próximo da Flona e não conhece ou não sabe do objetivo de se ter uma área como esta. Com a iniciativa, queremos trazer o grande público para passar um tempo em contato com essa paisagem que temos aqui”, destaca Ricardo Augusto Ulhoa, físico e gestor da Flona.

Em volta de uma fogueira com o grupo de 50 pessoas, Ademar Brandalise, técnico florestal, biólogo, idealizador e coordenador da Trilha Noturna, inicia a caminhada com a equipe às 19h, que só acaba perto das 23h. “É um projeto novo em nossa região, bem bacana, que está tendo muita procura. O objetivo é de que as pessoas venham mais para a natureza. Com o decorrer dos anos, o homem foi se afastando dela e estamos trazendo as pessoas de uma forma diferenciada, ainda mais no período da noite”.

Durante a caminhada, os participantes fazem duas trilhas: do Eucalipto Mal Assombrado e das Águas. Todo o trajeto é acompanhado pelos voluntários e a equipe da Flona, que vai passando orientações sobre a unidade. A Floresta Nacional de Irati possui uma área de cerca de 3.500 hectares. Alguns animais que podem ser encontrados são os macacos, bugio e macaco prego; 18 espécies de mamíferos que estão em extinção, inclusive; 38 de répteis e 28 de anfíbios, por exemplo.

Trilha começa com uma roda de conversa perto da fogueira

Durante o percurso, um dos caminhos leva os participantes à fonte São Francisco de Assis e, quase finalizando, todos são convidados a apreciarem as belezas do céu com uma breve explanação sobre a lua e as estrelas.

Ecomuseu

O ponto final da Trilha Noturna é o Centro de Visitantes, também chamado de Ecomuseu, que conta com cinco salas. “A primeira sala é sobre os aspectos gerais da unidade, e a segunda, a parte vegetal. O terceiro, quarto e quinto espaço são dedicados à fauna com animais conservados em vidro, animais taxidermizados (técnica de preservação da forma da pele, planos e tamanho dos animais)”, explica Brandalise, salientando que este é um dos locais que mais chama atenção do público.

Parceria com a Comunidade Bethânia

Depois da longa caminhada, chega a hora do lanche fornecido pela Comunidade Bethânia, que é uma casa de acolhida para pessoas em vulnerabilidade que procuram um novo jeito de viver. A renda arrecadada com a venda dos sanduíches naturais, cafés, sucos e o caldo quente de mandioca, é para ajudar a Comunidade. 

“Já tem quatro ou cinco encontros que nós estamos fazendo esta parceria, pois é um meio de ajudar a Comunidade Bethânia porque nós vivemos da providência de Deus, não temos lucros, então tudo que vem até nós é bem-vindo”, comenta o ‘Pai Zé’ da Comunidade. Ele ainda diz que este subsídio serve para ajudar os meninos assistidos, que são chamamos de filhos na entidade.

Como participar da Trilha

A próxima Trilha Noturna está programada para o dia 13 de abril. As inscrições, que são limitadas por edição, devem ser feitas pela internet. Segundo os organizadores, a procura tem sido grande. Mais informações podem ser obtidas pelo facebook Floresta Nacional de Irati – ICMBio, pelo telefone (42) 3422-6944 ou e-mail [email protected]. A previsão é de que as Trilhas acontecem até o mês de novembro.

Seja voluntário

A Flona possui um programa oficial de voluntariado, em que os interessados são cadastrados e recebem certificado da instituição. No caso da Trilha Noturna, os voluntários atuam nas mais diversas atividades, como cuidar da recepção, preparação do evento, orientação aos visitantes e caminhada. “Quem quiser trabalhar com a gente, pode nos procurar diretamente aqui, pelo telefone ou pela página na rede social. Convidamos as pessoas que venham conhecer o projeto, participem da Trilha”, comenta Ademar.

A equipe também procura parcerias para apoiar a iniciativa, principalmente nos brindes que são sorteados ao fim da atividade. As pessoas e empresas que quiserem ajudar na continuidade do projeto, podem entrar em contato pelos mesmos meios mencionados acima.

 

 


Veja Também