Tenente Spak assume comando e faz história no Corpo de Bombeiros de Irati

Paixão pela profissão vem de família. Iratiense ingressou na primeira turma de mulheres bombeiros no Paraná
Tenente fez parte da primeira turma de mulheres bombeiros no PR (Foto: Fernanda Hraber )

Na próxima segunda-feira (13), às 14h, a 1º Tenente Carla Adriana Prado Spak Sobol assumirá o comando do 3º Subgrupamento do Corpo de Bombeiros de Irati. A cerimônia vai acontecer na Câmara de Vereadores. Em 70 anos do CB na região, ela se tornará a primeira mulher na história a conquistar este posto. Spak vai substituir o capitão Jorge Ramos, que será promovido a major e dará continuidade às suas atividades em Curitiba.

Mulher, esposa, mãe e bombeiro. Estes são alguns dos adjetivos de Carla que assumirá um grande desafio, a partir da próxima semana. Sempre muito atuante na sociedade, a Tenente Spak escolheu a profissão por causa de sua história familiar. “Meu pai era bombeiro, Subtenente José Spak e, também, guarda-vidas. Então, sempre a gente acompanhou o trabalho dele no quartel e, com o passar dos anos, nos interessamos pela profissão”, conta ela.

Os filhos do subtenente gostavam tanto do trabalho do pai que também decidiram segui-lo. “Meu irmão mais velho, hoje é o major Spak em Ponta Grossa no CB. Já, o irmão Emerson, também entrou no CB, mas mudou a carreira e, agora, atua como juiz em União da Vitória”, descreveu a bombeiro. E depois de três anos como soldado, Carla foi para a academia, e foi aí, então, que o irmão mais novo, Fabiano, também seguiu a profissão e hoje é cabo em União da Vitória.

1ª TURMA DE MULHERES NO PARANÁ

A Tenente Spak fez parte da primeira turma de mulheres bombeiros no estado do Paraná, que ingressou em 2005. Na época, foi uma importante conquista a mudança da lei estadual, que hoje, restringe a 50% a entrada de mulheres pelos concursos. “O CB não estava preparado ainda para o nosso ingresso. Então, este foi o primeiro grande desafio”, afirma Spak.

A capitã Sharon da Polícia Militar, que na época era tenente, foi primordial para a formação da turma, segundo ela. “Ela acompanhou nossa escola, em todos os momentos, justamente porque não tínhamos um amparo ou alguém que orientasse, desde a questão de cabelo, até do que poderíamos fazer e tudo mais”. Carla lembra que os homens estavam com receio de como iriam habilitar a turma de mulheres. Dentro do treinamento, o grupo passou por todas as etapas físicas e práticas do CB, totalizando oito meses de curso.

MAIS DESAFIOS

Depois, como soldado ainda, o desafio foi sair de Curitiba. “Como éramos apenas 22 mulheres, diziam que a gente ia sair depois de 10 anos porque os quartéis não estavam aptos para nos receberem. Não havia banheiros ou alojamentos preparados”, comenta.

Em 2007, a Tenente precisou retornar a Irati por uma situação familiar. Mas, para poder atuar, teria que ser aceita pelo comandante do CB de Irati que, na época, era o capitão Jorge Ramos, ainda tenente. “Ele me disse que se liberassem, eu poderia vir para cá. Como não havia um espaço preparado para mulheres no quartel, o capitão cedeu a sala dele porque era onde tinha o único banheiro (que ele usava, até então) disponível”. Hoje, o CB de Irati possui espaço adequado para receber bombeiros mulheres.

Outro fato que marcou a vida de Carla é que o dia de seu casamento estava marcado em uma data que coincidia com o período que passaria para sua nova formação na carreira de bombeiro. “Nós adiamos e marcamos outra data. Recebi muito apoio de meu noivo e do capitão, para que eu continuasse a crescer no Corpo de Bombeiros”. Carla casou-se há nove anos com o policial militar, Sargento Sobol. Eles têm dois filhos, João Vitor de 12 anos e Rafaela, de 3.

ATÉ BREVE AO CAPITÃO

Depois de seu retorno para Irati com muito trabalho até então, fala com carinho, de receber, agora, o comando, pelo Capitão Jorge Ramos. “Isto pela questão dele ter feito parte da minha história, de ser um grande incentivador da minha carreira”.

Sua admiração por ele só cresceu com o trabalho conjunto. “Fica uma ponta de tristeza porque poderíamos nos tornar uma unidade independente, e assim, nós continuaríamos trabalhando junto. O Capitão é uma pessoa que trabalha em prol do bombeiro do município de Irati, da região, então ele pensa muito no futuro da população e do CB, em si”. Carla faz votos de que seja somente um “até breve” e espera que ele retorne ao comando de Irati com a unidade transformada em Grupamento.


Veja Também