Alunos e pesquisadores da UEM desenvolvem capacete-respirador de baixo custo para tratar pacientes com Covid-19

Equipamento custa cerca de 25% do valor dos capacetes-respiradores importados.

Capacete-respirador criado na UEM é mais barato do que os equipamentos estrangeiros — Foto: Reprodução/RPC

Alunos e pesquisadores da Universidade Estadual de Maringá, no norte do Paraná, desenvolveram um capacete-respirador para tratamento de pacientes com Covid-19.

De acordo com os responsáveis pelo projeto, o equipamento desenvolvido na universidade custa cerca de 25% do valor dos capacetes-respiradores importados.

Além disso, o modelo desenvolvido na UEM pode ser reutilizado, enquanto os equipamentos estrangeiros são descartáveis.

Para produzir o aparelho com custos mais baixos, os pesquisadores produziram algumas peças com impressoras 3D.

Três protótipos estão sendo usados no Hospital Universitário de Maringá

De acordo com o professor Edson Arpini Miguel, o capacete pode ser usado em pacientes de casos moderados da Covid-19. "O mais importante aqui é garantir o maior conforto para o paciente e melhor oferta de oxigênio", afirmou.

Os alunos e pesquisadores também estão desenvolvendo um ventilador mecânico totalmente produzido dentro da universidade. No momento, o aparelho está em fase de testes. A expectativa é que ele seja concluído em seis meses.