Contratação de temporários deve aumentar, mas indústria vai superar comércio

A entidade aponta ainda que, neste período, poderão ser geradas mais de 900 mil vagas temporárias, frente às 800 mil de 2019.

Mesmo diante da pandemia do novo coronavírus, a geração de vagas formais por meio do Trabalho Temporário deve crescer 12% entre julho e dezembro de 2020 em comparação ao mesmo período do ano passado, segundo projeção da Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem).

Mas, neste ano pode acontecer uma cenário diferente de outros anos, com a indústria contratando mais que o comércio. A entidade aponta ainda que, neste período, poderão ser geradas mais de 900 mil vagas temporárias, frente às 800 mil de 2019.

“O período de pandemia criou uma situação de insegurança e emergência nas empresas e o Trabalho Temporário é a melhor modalidade de contratação para este cenário, já que pode ser utilizada como solução por diversos setores e qualquer nível de ocupação, o que favorece o crescimento”, afirma Marcos de Abreu, presidente da Asserttem.

Historicamente, o 2º semestre é o período de maior contratação de trabalhadores temporários, com destaque para o último quadrimestre (setembro, outubro, novembro e dezembro) devido às datas sazonais, como Dia das Crianças e Natal, em que o comércio é responsável por grande parte das contratações. Porém, em 2020, a pandemia deve alterar esse cenário.

“Acreditamos que haverá uma queda nas contratações temporárias realizadas pelo comércio, por ter menos pessoas visitando as lojas e pelo uso do comércio eletrônico. Mas, essa diminuição será superada pelas contratações das indústrias, que estão repondo seus quadros de funcionários para conseguir suprir a demanda do mercado”, explica Abreu.

Aumento no 1º semestre
“Entre janeiro e junho de 2020 tivemos mais de 1 milhão de contratações temporárias, somadas ao bom desempenho que esperamos para o 2º semestre, devemos alcançar a marca de 1,9 milhão de trabalhadores temporários contratados neste ano, um aumento de cerca de 28% em relação a 2019”, diz abreu.

Segundo ele, com a pandemia e constante transformação, em que as empresas estão se reinventando e buscando alternativas formais de contratar trabalhadores, preservando os direitos, mas com oxigênio suficiente para acompanhar a oscilação da economia, o Trabalho Temporário se mostra como o regime mais rápido, eficaz e seguro tanto para as empresas quanto para os trabalhadores.