Copel investe R$ 34,6 milhões em projetos inovadores de armazenamento de energia

Companhia também vai renovar todo o sistema de geração de energia da Ilha das Cobras, área remanescente de Mata Atlântica na Baía de Paranaguá

A Copel vai investir R$ 34,6 milhões em quatro projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) na área de armazenamento de energia elétrica no Paraná. Os programas fazem parte de um rol de ações da companhia aprovados em chamada pública estratégica da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para arranjos técnicos e comerciais para a inserção de sistemas de armazenamento de energia no setor elétrico brasileiro.

A ordem de serviço para o início das intervenções foi assinada na quarta-feira (02), no Palácio Iguaçu, pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, pelo diretor-presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero, e pelo diretor da Aneel, Sandoval de Araújo Feitosa Neto.
“Essa parceria entre a Copel e Aneel permite ao Paraná ser um grande laboratório de novas tecnologias para a geração de energia, com investimento em inovação e sustentabilidade em pontos importantes do Estado. São mais de R$ 30 milhões que vão resultar em uma energia limpa, confiável e também na modernização da nossa Copel”, afirmou Ratinho Junior.

A Copel foi a empresa que mais aprovou projetos na Chamada nº 021/2016 da Aneel, que no total selecionou 23 propostas contemplando diversas tecnologias de armazenamento de energia. “É a combinação da geração fotovoltaica com o armazenamento de energia. São projetos estratégicos que reforçam o protagonismo da Copel na inovação e desenvolvimento do setor elétrico estadual e também do Brasil”, disse o diretor-presidente da companhia, Daniel Pimentel Slaviero.

“Estamos vivendo uma verdadeira mudança de filosofia na área energética, com a descentralização da geração de energia exigindo cada vez mais tecnologias de infraestrutura, especialmente na área de armazenamento. Por isso é significativo que a Copel esteja à frente de pesquisas nesse setor”, acrescentou o superintendente de Smart Grid e Projetos Especiais da Copel, Julio Omori.

INOVAÇÃO 

Todos os quatro projetos usarão sistemas de baterias de última geração, fornecidos pela empresa catarinense WEG. Um deles, que será implantando no município de Ipiranga, nos Campos Gerais, irá testar um sistema de baterias de fluxo, algo inédito no País.
“É um sistema bastante recente no setor elétrico mundial e tem as premissas de ser eficiente, ter longo ciclo de vida e não emitir poluentes”, explicou o engenheiro eletricista e responsável pela implementação dos projetos de armazenamento na Copel, Rodrigo Braun dos Santos.
A escolha de Ipiranga para os testes se deve ao fato de a cidade ter 100% de cobertura com medidores inteligentes que automatizam a medição do consumo. Isso possibilita o mapeamento detalhado de todos os impactos da inserção desta tecnologia, além da sua convivência com sistemas de reconfiguração de rede (self healing) – tudo interligado por sistemas de informação e telecomunicações.

“Poderemos fazer testes como, por exemplo, implementar uma microrrede em um circuito elétrico inteiro do município, o qual será abastecido apenas pelos sistemas de baterias e possibilitará a realização de manutenções impactando minimamente o fornecimento de energia aos consumidores, com a vantagem de termos todos os dados em tempo real”, destacou o engenheiro.