Copel Mercado Livre reforça posicionamento focado no cliente

Empresas podem calcular economia na fatura de energia negociada no ambiente livre.

A subsidiária da Copel que atua na comercialização de energia no mercado livre agora se chama Copel Mercado Livre. Com a página www.copelmercadolivre.com, a empresa está reforçando seu posicionamento focado no cliente final, com funcionalidades para ajudar novos consumidores no processo de migração para o mercado livre e os atuais com informações relevantes sobre o mercado.

Linguagem acessível, simulador de economia na fatura de energia e todos os detalhes sobre o mercado livre de energia são alguns dos elementos que foram desenhados para proporcionar a melhor experiência ao usuário que pretende negociar energia com a Copel. 

“Temos um importante papel de simplificar o mercado livre para os clientes finais”,  disse o diretor-geral da Copel Mercado Livre, Franklin Miguel. Segundo ele, a sobra de energia e os preços atuais irão provocar uma nova onda de migração de clientes para o mercado livre. Para isso, diz Franklin, é fundamental que a presença digital esteja cada vez mais perto do consumidor propício a migrar para o mercado livre de energia. “Temos toda a eficiência e a credibilidade do grupo Copel aplicadas também a esse modelo de negócios que só tende a crescer”, afirmou.

TRANSFORMAÇÃO DIGITAL – Nesse contexto, além da mudança do nome, a Copel Mercado Livre também está passando por uma transformação digital. “O nosso objetivo é simplificar o mercado livre para todos os clientes finais, oferecendo informações em tempo real. O novo site também será o hub para as negociações de energia com geradoras e outras comercializadoras. Aos poucos, estamos migrando as nossas negociações com esses públicos para o site”, disse Franklin Miguel.  

Hoje o mercado livre já responde por 30% da energia consumida no Brasil e estimativas indicam que em dez anos esse número chegará a mais de 50%, concentrando todo o consumo industrial e comercial de grande porte, e possivelmente também o segmento residencial de maior consumo. No ano passado, 7,6 mil consumidores, 360 comercializadoras, centenas de geradoras e dezenas de instituições financeiras movimentaram em torno de R$ 134 bilhões no país. 

A Copel Mercado Livre pertence à Companhia Paranaense de Energia, maior empresa do Paraná e quarta maior do Brasil no setor de distribuição de energia. “Entrar no mercado livre de energia com uma empresa consolidada e experiente é o grande diferencial para o cliente que deseja mais controle de custos, comodidade, confiança e economia”, afirma Miguel.

MAIS ECONOMIA – No mercado livre de energia, modalidade lançada há mais de 20 anos no Brasil, os clientes finais podem escolher seu fornecedor de energia. “É possível negociar a conta de energia de acordo com o perfil do negócio, determinando com antecedência o preço, volume de consumo e prazo de contrato. Essa modalidade de contratação, além da economia na fatura, tem como vantagem a previsibilidade dos custos com energia. No mercado livre, não existe a surpresa das Bandeiras Tarifárias, que alteram os custos de energia todo mês. Além disso, o preço da energia é reajustado por indicador escolhido pelo cliente”, detalha Miguel. 

Desde a sua criação, o mercado livre sempre ofereceu economia para os clientes que fizeram a opção por essa forma de contratação. Estudos da Abraceel apontam que desde a sua criação até dezembro de 2019, os clientes do mercado livre economizaram R$ 190 bilhões em suas contas de luz. “No momento, estamos passando por uma janela de oportunidade muito favorável para os clientes finais. A sobra de energia e os baixos preços no mercado livre, tem possibilitado redução de custo da ordem de 50% em relação à tarifa de energia do mercado cativo”, informa Franklin Miguel.  

No site www.copelmercadolivre.com é possível experimentar simulações de contratos e calcular a economia do mercado livre de energia. Hoje, a Copel Mercado Livre tem cerca de 800 consumidores, em 14 Estados brasileiros e volume médio comercializado de 1.300 MW. 

O mercado livre de energia no Brasil foi aberto a partir da publicação da Lei 9.074/1995, que instituiu a figura do consumidor livre, do produtor independente e do Mercado Atacadista de Energia – que hoje é a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). O envolvimento da Copel com o mercado livre de energia começou em julho de 1998, quando a empresa firmou o primeiro contrato no mercado livre do Brasil.

LIVRE OU ESPECIAL – A empresa que tem demanda de energia contratada igual ou superior a 2.000 kW está apta a participar do mercado livre na categoria “consumidor livre”. Esse número vem diminuindo com frequência: em 2021 cairá para 1.500 kW, em 2022 para 1.000 kW e em 2023 será de 500 kW. 

Se a empresa tem demanda contratada igual ou superior a 500 kW, está apta a contratar energia no mercado livre na categoria “consumidor especial”, sendo que essa demanda pode contemplar mais de uma unidade consumidora. Uma rede de supermercados, por exemplo, pode somar a demanda contratada em cada estabelecimento para alcançar a demanda mínima de 500 kW e participar do mercado livre como consumidor especial. 

ENERGIA RENOVÁVEL – Além da economia e da comodidade, outra questão que vem ganhando cada vez mais peso no mercado é a aquisição de energia proveniente de fontes renováveis. O consumidor especial tem a obrigação de comprar a chamada energia incentivada – aquela produzida a partir de usinas eólicas, fotovoltaicas, pequenas centrais hidrelétricas e usinas termoelétricas à biomassa. O consumidor livre, apesar de não ter essa obrigação, também tem optado pela fonte de energia renovável. A vantagem da energia renovável incentivada para os clientes finais é o desconto na tarifa de transporte.  

A energia incentivada garante desconto de pelo menos 50% na tarifa de transporte da energia da empresa, conhecida como Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição – TUSD.  

Prover energia acessível e limpa é um dos principais compromissos da Copel, atendendo ao Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 7, da ONU. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são uma agenda mundial adotada durante a Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável em setembro de 2015, composta por 17 objetivos e 169 metas a serem atingidos até 2030. A Copel se comprometeu com os ODS em 2016 e tem realizado diversas ações envolvendo todas as suas subsidiárias em prol da Agenda 2030.

Mais informações em www.copelmercadolivre.com