Diretor e superintendentes de Obras da Cohapar realizam vistoria técnica no Condomínio do Idoso de Irati

Técnicos avaliaram o andamento da construção, que já está com 20% do cronograma de execução concluída

Jaqueline Lopes e Assessoria

Nesta semana, o diretor de Obras André Bueno, o superintendente de Obras Fábio Ortigara e o superintendente de Relações Institucionais Fabio Tomita, da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), realizaram uma vistoria técnica na obra do Condomínio do Idoso de Irati. Eles avaliaram como está o andamento da construção e confirmaram que está dentro do prazo.

Hoje, a obra está com 20% do cronograma de execução concluída, e tem o investimento de R$ 4 milhões. De acordo com os técnicos, a visita avaliou o andamento, como os colaboradores tomam os cuidados de prevenção contra a Covid-19, se a empresa disponibiliza álcool gel, utilizando os EPis de forma correta.

“A construção está dentro do prazo, gostaríamos que estivesse mais adiantada, ainda mais agora, saindo da fase crítica da Covid-19. A empresa tem reclamado de dificuldades na compra de algum material ou outro, mas a tendência é que isso se normalize e possa deslanchar”, comenta o superintendente Ortigara.

Irati tem um plano habitacional que prevê a construção de novas moradias e a regularização de imóveis. “A parceria da prefeitura municipal com o Governador Carlos Massa Ratinho Jr., com a Cohapar, Copel e Sanepar, viabiliza a construção dessas unidades habitacionais”, disse Fábio. “Irati tem hoje uma demanda de 689 famílias que ganham de 0 a 1 salário mínimo e 828 famílias que ganham de 1 a 6 salários mínimos, que aguardam sua casa própria”, completa o superintendente.  

Os técnicos avaliam que a obra tem previsão de encerrar em março ou abril de 2022.

MORADIAS

A obra, que faz parte do programa Viver Mais Paraná, é  composta por 40 casas exclusivas para a terceira idade em formato de condomínio fechado e de um centro de convivência. As unidades também serão entregues com piso, acabamentos e todas as instalações elétricas e hidráulicas necessárias para os moradores iniciarem a mudança de imediato.


                     Técnicos analisaram o andamento e segurança da obra (Foto: Jaqueline Lopes)

As moradias têm 46 metros quadrados e foram construídas em duplas, conjugadas. Há também 4 casas de 49 metros adaptadas para idosos portadores de necessidades especiais. São casas de alvenaria com laje, permitindo o conforto térmico e acústico necessários aos moradores. Os imóveis têm sala ampla, cozinha, um quarto e um banheiro e uma lavanderia externa.

O condomínio conta ainda com diversos espaços de uso comum como biblioteca, sala de informática, academia ao ar livre, horta comunitária, salão de festa e para atividades, pista de caminhada, quiosques próprios para prática de jogos, ambulatório para atendimento médico, sala de administração, tudo pensado para proporcionar conforto, qualidade de vida e segurança aos moradores. O complexo é fechado com muros e conta com portaria e guarita 24 horas.

O contrato a ser firmado entre o idoso contemplado e a prefeitura dispõe que o órgão é responsável pela manutenção periódica do local e pela promoção dos serviços básicos de saúde, enquanto os moradores realizam o pagamento de uma taxa mensal reduzida que fica abaixo dos valores de um aluguel convencional, por exemplo.

Além de Irati, outros municípios também participam do programa Viver Mais, entre eles: Prudentópolis, Ponta Grossa, Telêmaco Borba, Cornélio Procópio, Francisco Beltrão, Cascavel e Foz do Iguaçu.

IDOSOS QUE DESEJAM PARTICIPAR

Para participar da seleção de pessoas, o idoso, ou casal, precisa ter renda de um a seis salários mínimos e que não possuam casa própria, por meio do preenchimento da ficha cadastral disponível no site cohapar.pr.gov.br/cadastro. Aqueles que já se inscreveram devem conferir se os dados informados permanecem inalterados

A seleção para 40 unidades iniciará a partir da conclusão do empreendimento. Serão chamados candidatos inscritos no site da COHAPAR, que comprovem renda mínima de um salário mínimo nacional, atualmente em R$ 1.100. A prioridade de atendimento será para residentes em áreas de risco ou em condições precárias, pessoas de menor renda, deficientes ou que pagam aluguel oneroso.

Fotos: Jaqueline Lopes/Folha de Irati