Parque Ecotecnológico de Ponta Grossa vai fortalecer a inovação

Foram assinados os protocolos para instalação dos primeiros empreendimentos no local. O parque foi um dos credenciados pelo Governo do Estado.

Foram assinados nesta quarta-feira (23), em solenidade com o governador Carlos Massa Ratinho Junior, os protocolos para instalação dos primeiros empreendimentos do Parque Ecotecnológico Professor Sérgio Escorsim, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais. O espaço foi credenciado pelo Governo do Estado na semana passada, junto com outros 17 parques tecnológicos que compõem o ecossistema de inovação do Paraná.

Na cerimônia, o governador formalizou a entrega o certificado provisório de credenciamento, que tem duração de dois anos e vai permitir o acesso a recursos estaduais, além de fomentar ecossistemas mais unificados e sofisticados para que empresas, incubadoras e instituições de pesquisa compartilhem conhecimento, equipamentos e recursos.

O governador afirmou que o espaço vai contribuir para fortalecer a inovação no Paraná. “É um momento único para o fortalecimento dos parques no Paraná. O Estado está se transformando em um grande polo de tecnologia e startups”, afirmou Ratinho Junior. “Ponta Grossa, com o volume de indústrias e de investimentos que recebe, merece uma estrutura como essa, que une a academia a empresas e boas iniciativas na área de tecnologia”, salientou.

EXPECTATIVA – O prefeito Marcelo Rangel destacou que a expectativa de ocupação da área por empresas de tecnologia é grande, ampliando os investimentos no município. “Uma das primeiras a se instalarem aqui será a Cosan, que detém um dos principais aplicativos de logística do mundo e tem potencial de se tornar mais um unicórnio no Brasil, como são chamadas as empresas de tecnologia que atingem US$ 1 bilhão de valor de mercado”, disse.

“A empresa estava indo para São Paulo, mas conseguimos segurá-la aqui, para se instalar em uma área de 50 mil metros quadrados”, afirmou.

EMPRESAS – Os primeiros protocolos assinados são para a instalação das empresas Frísia e KMM Engenharia de Sistemas, parceira da Cosan, além de uma unidade do Sebrae. Também foram destinadas áreas para a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e para a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Elas comporão a estrutura do parque, que funcionará em uma área de 736 mil metros quadrados.

MICRO E PEQUENAS – O vice-governador Darci Piana, que preside o Conselho Deliberativo do Sebrae, ressaltou que o espaço também ajudará as micro e pequenas empresas, que são o foco da entidade. “O Sebrae não tem uma área à altura da cidade de Ponta Grossa, e o Parque Ecotecnológico veio a calhar. A nova sede terá toda a capacidade tecnológica, com tudo aquilo que há de melhor em termos de apoio às pequenas e microempresas e também à inovação”, explicou.

INCUBADORAS – Quase metade da área do Parque Ecotecnológico será destinada para a instalação de incubadoras tecnológicas, permitindo que setores de tecnologia e pesquisa atuem de forma conjunta, o que deve atrair novos investimentos ao município. Além das duas universidades, o espaço também deverá contar com uma sede do Instituto Federal do Paraná (IFPR).

PRESENÇAS – Participaram da solenidade os secretários de Estado da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex; e do Planejamento e Projetos Estruturantes, Valdemar Bernardo Jorge; o presidente do Tecpar, Jorge Callado; o superintendente de Inovação do Governo do Estado, Henrique Domakoski; e a vice-prefeita de Ponta Grossa, Elizabeth Schmidt.