Primeira parte da duplicação da PR-323 é liberada para o tráfego

O governador Carlos Massa Ratinho Junior entregou um trecho de cerca de 10 quilômetros, de Paiçandu ao distrito de Água Boa, metade dos 20,7 quilômetros da intervenção em andamento na pista, que segue até a cidade Doutor Camargo.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior entregou nesta quinta-feira (11) a primeira parte das obras de duplicação da PR-323, no Noroeste do Estado. Foi liberado para o tráfego um trecho de cerca de 10 quilômetros, de Paiçandu ao distrito de Água Boa (entre os quilômetros 153 e 164), metade dos 20,7 quilômetros da intervenção em andamento na pista, que segue até a cidade Doutor Camargo.

O Governo do Estado investe cerca de R$ 80 milhões na obra, uma das mais emblemáticas do Paraná. De acordo com o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR), pelo trecho trafegam aproximadamente 16 mil veículos por dia, dos quais pelo menos 40% são pesados. A movimentação intensa por pistas simples tornou a PR-323 um trecho perigoso, com muitos acidentes fatais ao longo dos anos.

“A PR-323 é uma rodovia muito importante e que já deveria ter sido duplicada há muito tempo para ampliar a sua capacidade de trafegabilidade e trazer mais segurança aos motoristas e moradores. Desde que assumimos o governo, nos comprometemos a melhorar essa estrada”, explicou o governador. “Liberamos agora os primeiros 10 quilômetros dessa obra e em cerca de um mês completamos o trecho até Doutor Camargo, além de começar outras frentes de obras nos próximos meses”, afirmou.

A PR-323 é a principal ligação entre as regiões Norte e Noroeste e passa por várias cidades do Estado. A rodovia suporta toda movimentação proveniente do polo têxtil e o escoamento da safra de importantes regiões produtoras paranaenses, além de proporcionar ligação com o Mato Grosso do Sul e países do Mercosul.

“Estamos ampliando a capacidade da rodovia e garantindo mais segurança. Esta era uma rodovia da morte, infelizmente muitas pessoas perderam suas vidas nos acidentes que aconteciam quase que diariamente. A ideia é avançar para melhorar o tráfego para os caminhoneiros e todos que utilizam essa via, além de trazer mais desenvolvimento a essa região importante para a economia do Paraná”, ressaltou Ratinho Junior.

O pacote de investimentos no trecho contempla, além da duplicação, a construção de dois viadutos, o primeiro em Paiçandu e outro entre Água Boa e Doutor Camargo, uma trincheira, além de vias marginais em Paiçandu e também em Água Boa.

“Este grande investimento do Governo do Estado nos traz tranquilidade para trafegar com mais segurança pela PR-323. É um marco para a cidade de Paiçandu e para o distrito de Água Boa”, afirmou o prefeito Ismael Batista. “É uma rodovia simples com muitas curvas, onde muitos acidentes aconteciam. Com a duplicação haverá mais espaço para os motoristas e tranquilidade para todos que vivem ou passam por aqui”, disse.

MAIS INVESTIMENTOS – Novas obras estão previstas na rodovia. A segunda etapa da duplicação, de Doutor Camargo até a ponte sobre o Rio Ivaí, já foi licitada. Serão investidos R$ 55,6 milhões para o trecho de seis quilômetros, entre os quilômetros 174 e 180. Além da duplicação e outras melhorias, o projeto inclui a implantação de intersecção em desnível, vias marginais, acostamentos e passeios.

“Temos um volume de obras muito grande da região, além desse primeiro trecho duplicado. Acreditamos que essas ultrapassagens perigosas são resolvidas com a ampliação de capacidade da rodovia”, afirmou o secretário estadual da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex.

De acordo com ele, a PR-323 é estadual, mas tem o fluxo e características de uma rodovia federal. “Tem que ser tratada assim na questão dos investimentos, da logística e da segurança. Muitas vidas foram perdidas porque a rodovia já estava saturada, há um grande movimento da população para que haja essas melhorias. Passo a passo, chegaremos até o final”, ressaltou.

Um dos principais gargalos logísticos da via, o Trevo Gauchão, em Umuarama, também passará por intervenções. O entroncamento será transformado em um grande viaduto de duas alças a partir de 2021, com investimentos de R$ 81,8 milhões que contemplam também a duplicação dos 4,4 quilômetros que separam o Gauchão do acesso à Mariluz, no entroncamento com a PR-468, vias marginais com acessos à rodovia principal, além da intersecção em desnível no trevo de Mariluz.

No intervalo entre essas duas obras, seguindo até o município de Iporã, haverá obras de ampliação da capacidade, com a implementação de terceiras faixas ao longo de 23 segmentos da rodovia. Na próxima quarta-feira (17), o DER/PR fará a abertura dos envelopes com as propostas para a construção das terceiras faixas desde o entroncamento com a PR-551, em Doutor Camargo (km 174), até o encontro com a PRC-272, passando pela PR-182 e pela BR-272, em Iporã.

A obra de duplicação faz parte do Programa Estratégico de Infraestrutura e Logística de Transportes do Paraná e conta com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). As obras das terceiras faixas contam com recursos financiados pela Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil.

CONCESSÃO – A PR-323 também está entre as vias que o Estado inseriu no novo Programa de Concessões de Rodovias do Paraná, que deve ir a leilão na Bolsa de Valores ainda neste ano. O projeto que está sendo elaborado pela Empresa de Planejamento e Logística (EPL), ligada ao Ministério da Infraestrutura, prevê a concessão de 3.327 quilômetros de estradas federais e estaduais em todas as regiões.

Com investimentos na ordem de R$ 42 bilhões, estão planejadas duplicações de 1.700 quilômetros de rodovias, implantação de 253 quilômetros de faixas adicionais nos trechos já duplicados e de 104 quilômetros de terceiras faixas para apoio ao trânsito. Também devem ser construídos 10 contornos para facilitar a integração entre as rodovias, além de outras melhorias, como sinal de wi-fi nas estradas.

PRESENÇAS – Participaram da solenidade o diretor-geral do DER/PR, Fernando Furiatti; o superintendente regional do DER/PR, Octávio Rocha; o presidente da Associação do Municípios do Setentrião Paranaense (Amusep), Rogério Bernardo; e os deputados estaduais Do Carmo, Soldado Adriano José, Doutor Baptista, Evandro Araújo e Alexandre Curi.