União da Vitória volta a ter frequência de voos após 50 anos

A conexão aérea comercial recém-inaugurada recoloca o município no mapa da aviação brasileira, onde não aparecia desde a década de 1960. Cidades de toda a região Centro-Sul são beneficiados pelo programa Voe Paraná.

Os quase 60 mil habitantes de União da Vitória podem a partir desta terça-feira (22) chegar a Brasília, capital do País, em menos de quatro horas, praticamente o mesmo tempo de uma viagem de carro entre a cidade e Curitiba. A conexão aérea comercial recém-inaugurada recoloca o município no mapa da aviação brasileira, onde não aparecia desde a década de 1960.

Essa integração foi possível graças ao programa Voe Paraná, que conectou 12 cidades do Interior a Curitiba em voos semanais. É o maior programa de aviação regional da Gol no País. Os trechos são operados em parceria com a empresa de táxi-aéreo TwoFlex. Serão 67 voos semanais neste primeiro momento, com possibilidade de aumentar o fluxo em função da demanda.

As viagens de Curitiba para União da Vitória acontecerão às terças, quintas e domingos, às 12h15. O mesmo trajeto leva a Francisco Beltrão, no Sudoeste do Estado. Os voos de União da Vitória para Curitiba serão às 15h45. O tempo de duração é de apenas 55 minutos.

O voo inaugural aconteceu nesta terça-feira e foi recebido pelo prefeito Santin Roveda. “É uma conquista para a cidade e para a região Centro-Sul. Ninguém acreditava. É um programa que propõe desenvolvimento regional e vai alavancar o turismo do Paraná. O intuito é que União da Vitória passe a constar no rol de destinos dos empresários de Curitiba, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo”, afirmou.

O Governo do Estado e a prefeitura realizaram investimentos de R$ 2 milhões no Aeroporto Municipal José Cleto. O asfalto da pista recebeu recape e as instalações foram melhoradas para garantir mais conforto aos passageiros. O próximo passo é aumentar a pista para receber mais voos de outras companhias.

Segundo o deputado estadual Hussein Bakri, líder do Governo na Assembleia Legislativa, há um ganho de autoestima para a população local. “Nos anos 1950 três empresas faziam voos em União da Vitória. Em 1960 isso acabou. Quando o cidadão vê na tela do aeroporto o nome da sua cidade há um ganho imensurável de projeção”, afirmou. “O Voe Paraná fortalece o desenvolvimento regional do Estado e eleva a capacidade de crescimento das cidades contempladas”. Ele decolou no voo inaugural no Aeroporto Internacional Afonso Pena, na Região Metropolitana de Curitiba.

Quem também participou da primeira viagem foi o economista Inácio Pereira, 40, de Francisco Beltrão. Ele costumava fazer o trecho de ônibus ou carro, trajeto que dura pelo menos 6 horas. “Entendo que os voos agilizam os processos e contribuem no desenvolvimento de médio e longo prazo. Como cidadãos temos que usufruir dos serviços para consolidar essa linha aérea”, ponderou.

DESENVOLVIMENTO REGIONAL – O presidente da Câmara de Vereadores de União da Vitória, Ricardo Adriano Sass, afirmou que a rota aérea recoloca a cidade no radar dos investimentos dos empresários. “A recepção foi muito boa entre todos os vereadores porque enxergamos a possibilidade de mais investimentos na região. Esse novo trânsito de empresários nos dará muita visibilidade”, destacou.

Salete Melo, presidente da Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresariais do Centro Sul do Paraná (Cacesul), acrescentou que a nova rota será um marco do desenvolvimento de municípios para um raio geográfico onde moram 900 mil pessoas. “Era uma reivindicação antiga e que finalmente foi concretizada. Há pelo menos 50 anos não temos rotas comerciais na cidade”, afirmou.

Salete também destacou a possibilidade de expandir o setor industrial de União da Vitória e o comércio da erva-mate e dos produtos derivados. O Paraná concentrou 87% de toda a produção de erva-mate do País em 2018. Das 393 mil toneladas, 345,09 mil saíram do Estado, especialmente da região Centro-Sul, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Podemos embarcar em União da Vitória às 15h45 e às 19h30 já pousamos em Brasília. Isso é um ganho muito grande de mobilidade e da busca pelo desenvolvimento, por recursos federais. Nós temos uma vocação florestal e um potencial enorme da erva-mate, somos os maiores produtores nacionais de erva-mate sombreada. Também temos inúmeros produtos derivados na gastronomia. Essa expansão possibilita a busca por mais qualificação dos nossos empresários nos grandes centros e abre a possibilidade dos nossos produtos alcançarem ainda mais mercados”, apontou a presidente da Cacesul.

BOX

Paraná tem a maior malha aérea regional da Gol do País

O programa Voe Paraná foi estruturado para incentivar a aviação regional no Estado. A Gol e a empresa de táxi-aéreo TwoFlex oferecem ligação aérea partindo e chegando a doze municípios que têm entre 32 mil e 155 mil habitantes. Foram contemplados Paranaguá, Arapongas, Campo Mourão, Francisco Beltrão, Paranavaí, Cianorte, Telêmaco Borba, Cornélio Procópio, União da Vitória, Apucarana, Guarapuava e Guaíra.

O programa opera com aeronaves Cessna Grand Caravan, com até 12 lugares (nove passageiros e três tripulantes). Nesta semana começaram a funcionar 67 voos semanais para dez cidades, mas até dezembro Apucarana e Guarapuava também ganharão voos semanais.

A Gol oferta 14 mil assentos por dia no Estado, 4º maior do País, atrás apenas de São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal. Entre as cidades de maiores destinos estão Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Porto Alegre, Foz do Iguaçu, Maringá e Cascavel. A companhia ainda conta com voos regulares para Londrina.