Zoinho pega 21 anos por morte de Marco Laroca

Marcos ficou desaparecido 27 dias

Um júri longo na quarta-feira (31), condenou Marcelo Henrique, vulgo Zoinho ou Cego, de 40 anos, morador de Ortigueira, a 21 anos de prisão em regime fechado, pela morte de Marcos Aurélio Laroca, na época com 35 anos, ocorrido em 19 de maio de 2015. A pronúncia da sentença aconteceu após às 22h.

Laroca desapareceu em 19 de maio e foi encontrado após 27 dias, por um catador de pinhão a 800 m da BR-153, entre Irati em Imbituva. Ele desapareceu depois de ser visto com o autor do crime, com o qual mantia relações comerciais. A caminhonete na qual estava foi encontrada às margens da BR-277, próximo ao rio Imbituvão.

Após o desaparecimento, foram mantidas extensivas buscas, mantendo um extenso drama para a família. O corpo foi reconhecido pelo pai no local onde foi encontrado. A vítima estava com a mandíbula e pescoço quebrados e avançado estado de decomposição.

A promotoria indiciou Marcelo por homicídio qualificado e meio cruel. Segundo o MP, Marcos foi vítima de uma tocaia preparada por Marcelo. Também há a possibilidade da vítima ter sido morta a pauladas. Na acusação, o depoimento mais longo foi do pai da vítima, Osmar Laroca, com cerca de uma hora e vinte minutos. A ex-esposa de Marcos não foi ao tribunal prestar depoimento, e a defesa, por este motivo, tentou protelar o julgamento, que foi indeferido pelo juiz da Vara Criminal, Carlos Eduardo Faisca Nahas. O motivo do assassinato não foi esclarecido, embora acredite- se num acerto de contas (meio torpe).

Em depoimento, Cego diz que esteve com a vítima e foram ver algumas carrocerias para comprar. Na BR 277, Laroca teria reconhecido um homem na caminhonete que vinha em sentido contrário, aí em diante teria seguido com ele. Cedo diz que deste momento não viu mais Laroca. Em nenhum momento Zoinho assumiu a autoria do homicídio ou da emboscada.

Mas as câmeras do posto Master Line mostraram imagens que revelaram outra situação, a qual foi defendida pelo promotor, Eduardo Ratto Vieira, e acatada pelo Júri que condenou Marcelo Henrique Schreiner da Silva a 21 anos de prisão. Ele já cumpriu 2 anos e 7 dias. 

Zoinho foi preso em 26 de julho de 2017 em Curitiba quando tentava fugir com um caminhão. A prisão foi realizada pelo COPE (Centro de Operações Policiais Especiais), unidade de elite da Policia Civil do Paraná quando tentava fugir de carona em um caminhão na Br 277. Ele é suspeito de integrar uma quadrilha de que planejava ações criminosas após o encerramento da 10º Festa do Vinho, em Bituruna. A quadrilha sabia da alta rotatividade de pessoas na cidade e que todo o dinheiro arrecadado durante a festa seria depositado no banco. As Informações são da radio Banda B.

O COPE conseguiu evitar a ação do bando e na época prendeu três membros da quadrilha – um deles morreu após trocar tiros com os policiais. Alguns integrantes conseguiram fugir entre eles “Zoinho”.

Com a quadrilha foram apreendidas duas escopetas calibre 12, uma pistola 9 milímetros, dois coletes balísticos, cerca de dez quilos de ouriços, três tocas balaclava, diversos estojos de calibre 9 milímetros e fuzil 5.56, bem como três carros utilizados pelos suspeitos para prática dos crimes, sendo um Corolla preto, um Monza prata e um Gol branco.

O Vídeo exibido pela Banda B e Tarobá mostra o momento em que Zoinho foi preso em Curitiba.