Confidencial
Adelmo e Osnei doam 50% do subsídio para combater a covid-19

Prefeito e vice doam metade do salário para o combate ao covid-19

O prefeito de Prudentópolis Adelmo Klosowski baixou um decreto nº 223/2020 determinando que seja descontado do subsídio do prefeito e do vice, 50% do valor. Segundo Adelmo, isso foi realizado em acordo com o vice prefeito e tem efeito sobre os meses de abril, maio e junho. O valor deverá ser utilizado para ampliar os recursos e ações do combate a Pandemia do Covid-19, em Prudentópolis. A decisão foi em conjunto com vice, Osnei, e como estão à frente do município, tem de dar o exemplo. A ação foi voluntária e espontânea. Como a prefeitura está fazendo alguns cortes, o funcionalismo tem de perceber o exemplo vindo dos gestores. É uma forma de solidariedade com quem vai sofrer com a crise.

Todos por Irati

Inicia na próxima segunda-feira (27) a arrecadação nas casas, da campanha “Todos por Irati”. A campanha visa recolher agasalhos, alimentos e materiais de higiene para serem distribuídos durante a pandemia. A ideia do prefeito é que não só aqueles que estiverem inscritos no cadastro da prefeitura, mas também aqueles indicados pelas entidades que participam da campanha, possam receber os donativos. Para dar o arranque na campanha os secretários da administração estão doando 170 cestas e o prefeito mais 330, totalizando as primeiras 500 cestas básicas.

Ângelo Machado vai para o DEM

O prefeito de Guamiranga, Ângelo Machado, migrou do MDB, partido por qual venceu a eleição em Guamiranga, para o DEMOCRATAS, partido que hoje na cidade é comandado pelo presidente da legenda no Estado, Pedro Lupion. A ação aconteceu pelas mãos do vereador Natan Pontarolo que arquitetou a mudança. A pedido de Machado, Natan ficou com a presidência no município e Machado vice. Ângelo diz nos bastidores que precisa incentivar as novas lideranças e Natan é uma delas.

Apoio

O apoio a administração vem da dobrada de deputados de muito trabalho. Alexandre Curi na Assembleia e Pedro Lupion no âmbito federal dão a sustentação nas conquistas que o município precisa. Na Câmara de Guamiranga, o prefeito Machado tem a maioria com cinco vereadores. A oposição ficou dividida. Dos quatro vereadores, dois são ligados a família Fenquer e outros dois se dividem em outros grupos. 

Lula tem maioria na Câmara de Teixeira

O prefeito Lula fecha o período da janela partidária com a maioria na Câmara de Vereadores do Município. Segundo o prefeito, o apoio do presidente da casa, “Erminho” é importante neste momento de pandemia ter resolutividade e não travar as ações do município. “Neste momento, precisamos de união para passar esta fase”, disse o prefeito. “A política se discute no momento das eleições”, completa.

Covid-19

O vice-líder do governo no Congresso Nacional, deputado federal Pedro Lupion (Democratas), celebra os recursos viabilizados pelo Governo Federal, através do Ministério da Saúde, para dar suporte ao sistema de saúde do Paraná, focado no combate à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O município de Prudentópolis recebeu R$ 524,679,93, já o município de Guamiranga recebeu R$125,077,03. De acordo com o deputado, o momento exige a união da bancada paranaense, que está engajada neste período de pandemia mundial.

“10 mil”

meta de cestas básicas que a campanha “Todos por Irati” pretende arrecadar.

 

Ainda...

A 4ª Regional de Saúde de Irati é a única no estado que ainda não teve registrado nenhum caso da Covid-19. Talvez o acaso, mas as medidas tomadas pelos prefeitos da região tem tido eficácia positiva no achatamento da curva da pandemia. O relaxamento das medidas e reabertura do comércio, mas com a efetividade do uso das máscaras, são ações elogiadas pela população. Por enquanto, estamos livres. Irati foi a primeira a impor o uso de máscaras por decreto do prefeito Jorge Derbli.

A culpa é do Rodrigo!

Segundo as ações da oposição do prefeito Rodrigo Solda, em Rio Azul, tudo o que acontece de ruim na cidade é culpa do prefeito. E agora parece que até a estiagem que assola o sul do Brasil é culpa de Rodrigo. Conta-se na cidade que a oposição anda de casa em casa no interior, afirmando que se eles não têm água em casa, o Rodrigo é culpado. Pelo andar da carruagem, a próxima culpa será do covid-19. É muita ironia.

Cidade dos milhões

Após Rio Azul ter entre seus moradores os ganhadores de prêmio milionário na Mega Sena, a cidade ficou contaminada pela mania dos milhões. Até na política. A promessa dos políticos é trazer milhões para cidade, só não dizem como e nem de onde!

Caráter social

O deputado e líder do Governo Hussein Bakri ressaltou o caráter social da lei sancionada pelo Governador Ratinho Junior, que proíbe cortes de energia e saneamento para famílias que receberem até três salários mínimos. A medida vale para o período que estiver sob a pandemia.

 “O Paraná não tem tempo a perder com discussões políticas. Juntos entramos nesta crise. Juntos dela sairemos. O momento é de união.”

Governador Ratinho Junior

O desgaste agora é com Moro

Saindo do habitual vamos falar do governo Jair Bolsonaro, que parece que tem medo de sombra. Agora, o desgaste é com o maior ícone do seu governo, o ministro Sérgio Moro. Um dia depois de ter sido avisado por Jair Bolsonaro de que o comando da Polícia Federal seria trocado, o ministro da Justiça, Sérgio Moro avisou nesta quinta-feira (23), ao presidente que pedirá demissão, e isso se confirmou na manhã desta sexta (24) após confirmada a saída do diretor-geral da PF, Maurício Valeixo. Desde o ano passado, o presidente Bolsonaro tem manifestado o interesse em trocar o comando geral da Polícia Federal para colocar alguém de sua confiança. A saída de Moro pode trazer uma queda na sua popularidade significativa devido às controversas, comandos que tem dado à frente da república.

Protecionismo

Bolsonaro parece fazer um protecionismo absurdo a seus filhos que vem desestabilizando o governo que só traz prejuízos a Bolsonaro. Sergio Moro, que é considerado herói nacional, deixou sua carreira de magistrado para assumir o Ministério na Justiça e Segurança Pública. A saída de Moro é um grande golpe a identidade do governo Bolsonaro, que em seu discurso faz denúncias contra o governo. O Brasil não precisava de mais uma barbeiragem política criada pelo presidente. Esta é a segunda perda significativa num curto prazo de tempo. Mandetta e Moro eram os dois ministros que tinham os maiores índices de popularidade. Moro representava todo o equilíbrio e demonstrava a seriedade, legitimando o combate a corrupção deste governo. Vamos ver os próximos dias, mas já se percebe pessoas declarando que deixam de apoiar o governo em virtude da saída de Moro, que agora se torna, pela forma da conduta e saída, um grande candidato para concorrer a presidência.