Bairros de Irati
Camacuã

Camacuã quer dizer: “Rio da serra com forma de seios”. É um nome de origem tupi-guarani. (Dicionário Guarani – Português, Luíz Caldas Tibiriçá – Editora Traco, 1989).

Narra seu Ironi dos Santos Pepe, nascido no bairro Camacuã há 74 anos, que se mudou do bairro, mas voltou a morar no local há 37 anos: a versão que soube da origem do nome era que existia muita planta chamada “Papuã”, e os índios que moravam aqui não sabiam falar essa palavra e falavam “Camacuã”.

Seu Ironi conta que no local, há 70 anos atrás, moravam poucas famílias proprietárias das terras, dentre elas: Willy Laars, Laurentino dos Santos Pepe, João Veres, Eugênio Viante , Demétrio Daniliszyn e João Vantroba. Era tudo invernada. Os tropeiros vinham do Pinhão, passavam por Inácio Martins, e deixavam o gado na invernada do senhor Willy Laars, para depois levar ao matadouro municipal, próximo ao Estádio do Iraty Sport Club.

Um dos moradores mais antigos do bairro foi o folclórico sorveteiro seu Domingos da Luz, que por décadas vendeu sorvetes na frente do Grupo Escolar Duque de Caxias.

Conta, ainda, que a rua Camacuã situava-se noutro local. Na administração do Prefeito Edgard de Andrade Gomes (31/01/1977 a 10/01/1980), a rua teve seu local alterado. Após, na gestão do Prefeito Olavo Anselmo Santini (10/01/1980 a 31/01/1983), foi efetivada a abertura da rua para dar acesso ao Seminário Mãe de Deus.

O bairro Camacuã é residencial e comporta diversas moradias, indústrias, a Escola Camacuã Eduardo Laars, o Seminário Mãe de Deus, o Centro de Tradições Willy Laars, chácaras e pequenos comércios.

A Escola Camacuã Eduardo Laars Ensino Infantil e Fundamental foi edificada na administração de Alfredo Van der Neut (01/01/1989 a 31/12/1992), e, na mesma gestão, foi estendida a rede de água. Na administração Sérgio Stoklos (2005-2008) foi executado o calçamento do CT Willy Laars até o bairro.

Havia no local, há alguns anos, a Madeireira Agostinho Zarpellon e Filhos, que posteriormente mudou suas instalações para o complexo existente no centro da cidade.

Importante, também, citar no bairro a presença serena do Seminário Mãe de Deus foi inaugurado em 31/01/1982 e teve como Primeiro Reitor o Padre Abraão Becher. Muitos padres iniciaram seus estudos nesse Seminário.

O senhor Guilherme Laars (Guilherme é Willy em holandês), segundo seus netos Lislane Marochi e Edson Zaleski Neto, nasceu em 14/11/1912, em Irati. Seu pai veio da Holanda e fixou-se na Colônia Gonçalves Junior e, depois, vieram morar na cidade de Irati. Seu Willy era açougueiro e aperfeiçoou-se em embutidos na cidade de Ponta Grossa. Possuía 37 alqueires no Camacuã, onde era sua invernada. Quando faltava gado para abastecimento da região de Irati seu Willy trazia 101 cabeças, por trem, do Estado de São Paulo. O número 101 era porque até 100 unidades o frete custava um preço por cabeça, passando de 101 diminuía bastante. O comboio, quando chegava em Irati, parava na Lagoa, ao lado da Invernada de seu Willy e descarregava o gado, assim se evitava de conduzir essa tropa pelo centro da cidade de Irati. Mais tarde, Eduardo, filho de seu Willy, transformou parte da Invernada no Centro de Tradições Gaúchas Pousada do Tropeiro, em homenagem aos tropeiros. Essa área foi adquirida pela administração do Prefeito Antonio Toti Colaço Vaz e hoje é o Centro de Tradições Willy Laars.

Atualmente, no bairro está instalada a empresa Martins pré-moldados de concreto que possui dezenas de funcionários e presta serviços a toda região. Próximo ao local estão instalados os loteamentos Van der Neut e Lago Real.

O bairro Camacuã é rico em histórias e muito contribuiu e contribui para o progresso da cidade de Irati.