Confidencial
Fim da janela e suas consequências

Pimentel filia-se ao PSD

O vice-prefeito de Curitiba, Eduardo Pimentel, que tem laços parentais em Irati,  assinou, na quinta feira (2), a ficha de filiação no PSD. Bom menino, político jovem e de atitude decente, teve a troca de partido aprovada pelo governador e  entende-se que selou a aliança de Ratinho Júnior e do prefeito de Curitiba Rafael Greca (DEM) para as eleições municipais.  Pimentel  deve seguir como vice de Greca na chapa à reeleição. A movimentação praticamente enterra o sonho do Secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, de ser candidato a prefeito pela legenda de Ratinho Júnior.  Pimentel que tem a pretensão de continuar vice de Greca não viria para o PSD atoa. Mesmo que sua filiação tenha condicionantes que constam em ata. Mas, a brecha é que a convenção é soberana.

Quarteto Verde

Dois vereadores de peso e tradição se filiaram ao PV no “fechar da janela”.  O presidente da Câmara Nei Cabral, deixou o PDT e filou-se ao PV da deputada Leandre Dal Ponte. Nei já havia comunicado na tribuna da Câmara que deixaria o partido e migraria para uma legenda de apoio ao prefeito Jorge Derbli. Outro nome é o vereador Hélio de Mello, político de cinco mandatos e todos pelo MDB, mudou de legenda. Vendo poucas possibilidades de construir legenda onde estava e assediado a muito tempo pelo PV, Hélio migrou nos últimos instantes da janela. Hélio está no quinto mandato. Agora, o PV tem uma bancada de quatro vereadores, composta por Rogério Kuhn, Zequinha Bodnar, Nei Cabral e Hélio de Mello, somando 40% do legislativo iratiense. Ainda tem nomes fortes em suas fileiras a exemplo da Dra. Larissa e seu pai Eugênio Mazepa. E está nos planos do partido indicar o candidato a vice de Jorge Derbli. Nomes tem de sobra para isso.

 

Empate

O PSDB, que era a maior bancada de vereadores em Irati, divide agora o ranking com o PV. Cada um com quatro. O PSD levou Bartoski, mas perdeu Wilson Karas para o PSDB. Com essa movimentação, abriu-se espaço para trazer outros dois vereadores, Marcelinho Rodrigues deixou o PP e também migrou para o partido do prefeito. Agora, o PSDB ficou com Soldado Elias, Alberto Schereda, Marcelinho Rodrigues e Vilson Karas.

 

“O povo quer honestidade na política, mas as pessoas não sabem ser honestas com o próximo. A política é o reflexo do seu povo”.

 Rafael Nascimento

 

Time de Peso

Mas o PSDB não ficou só nestes vereadores. Além de candidatos com boa expressão nas urnas, como Nato Kifouri e outros traz uma novidade.  A surpresa é vinda do ex-vereador e candidato a prefeito e a deputado estadual, José Ronaldo Ferreira, o Ronaldão da Vila. Durante a movimentação para filiação, Ronaldão explicou sua migração do PP para o PSDB. Ele vinha de uma recuperação de um câncer. Em três anos, passou por três cirurgias e devido a isso não teve condições de articular o PP. Como o partido se esvaziou e para não ficar fora da vida pública, Ronaldão buscou abrigo no PSDB do prefeito Jorge Derbli.  Ferreira, que já ficou fora de outra eleição por articulação, diz que deverá ser candidato a vereador. “É um momento de olhar para Irati e para sua gente. Deixar o ego de lado para buscar o melhor pro povo faz parte disso”. disse a pouco ao telefone.

 

 

10 vereadores em 4 partidos

Os vereadores da Câmara de Irati representam agora quatro partidos. PSDB com quatro, PV também com quatro e PSD continua com um e o PDT também continua com um. O que que muda são apenas os nomes dos dois partidos que tem um representante. Roni Surek, depois de muito namoro, voltou ao amor antigo e filiou-se no PDT de Odilon Burgath. Já Tucho Bartoski mudou de lado, deixou o PSDB do prefeito Jorge Derbli para ingressar ao PSD de Emiliano Gomes. Bartoski foi o único que mudou de lado. Surek já era oposição do Pros e continua no PDT.

 

“12 mil

O prefeito Lula de Teixeira Soares mandou confeccionar máscaras caseiras para distribuir para a população de seu município

 

Vários nomes surgem em Imbituva

Passada a janela vários nomes são espiculados em Imbituva para ocupar a cadeira de Bertoldo Rover no próximo ano. O vice Geraldo ficou no DEM em que é pré candidato a prefeito.  O médico Pedro Techy, segundo informações, está filiado no PSC e também tem seu nome ventilado nos bastidores. O ex-vereador Camilo que está no PSL também tem seu nome exposto a uma candidatura, segundo rumores. Celso Kubaski já se coloca com pré-candidato pelo Cidadania. Ainda, o nome de Acir Moraes e Zaqueu pelo Podemos são nomes que podem disputar a prefeitura. No PSDB, Vinicius Pontarolo foi o único com CPF em condição de disputar uma eleição em Imbituva.

  Mas a surpresa

Mas é o PSD do atual prefeito Bertoldo Rover é que tem um plantel invejável. Nomes como do empresário Belau e Valor da Cartoon, do advogado Deneka e dos vereadores Camargo, Betinho e Preta, estão em evidencia e vários deles com apoio forte de classes representativas de Imbituva. Mas a surpresa veio no final da Janela. A filiação do Padre Gilson, da igreja Matriz de Santo Antônio, pode estremecer o cenário político local. Com forte apelo e trânsito em todos os recantos do município, o padre Gilson tem um perfil de seriedade pelo homem religioso que é. Segundo as fontes, o Padre é mais um nome que entra no partido com a possibilidade de disputar a sucessão de Bertoldo Rover a prefeitura. Vamos aguardar a reação do povo.

E já em Fernandes Pinheiro a oposição ficou com a maior bancada na Câmara.

O MDB ficou com três vereadores. Queila Lovato, ex PDT,  e Izaias Kuller, ex PSC,  além do presidente Rosene Pabis, que até então estava no PP, partido ligado ao Nei, migraram para o MDB. Juninho deixou o PSD para filiar-se ao PSL acompanhado do vereador Cícero que deixou o DEM,  formando a bancada de oposição com cinco vereadores. O PSD, da prefeita Cleonice, ficou com quatro vereadores. Ozielzinho trocou o MDB pelo PSD acompanhado de Pedrinho e José Conrado  que esvaziaram o PP. O vereador  João Paulo  já estava no PSD. Mesmo com quatro vereadores no PSD, a prefeita Cleonice, que até então estava no MDB, ficou com a minoria na Câmara.

E pode vir chumbo

Da Câmara de Vereadores pode nascer a dobrada para concorrer à prefeitura contra Cleonice. Um de seus maiores escudeiros poderá ser seu algoz. Rosene Pabis já vinha alardeando que seria candidato a prefeito. E com abertura da janela ficou ainda mais latente esta hipótese. Ainda mais que corre nos bastidores que o seu vice pode ser Izaias Kuller, que é morador do Angaí. A chapa pode ter o apoio do ex-prefeito Oziel Neiverth, que  tem o nome em alta. Oziel está fora da política momentaneamente, mas pode apoiar a chapa de Rosene e Izaias que tem em seu entorno partidos como MDB, PSC, PSL, PV, Podemos dentre outros.

Três candidatos em Rebouças?

Lá também o fim da janela trouxe mudanças no quadro. Com o lançamento de Fabio Seidel como sendo o primeiro tetraplégico como candidato a prefeito no Paraná, o quadro esquentou. Fabio se filiou ao PSC com o apoio do deputado federal Paulo Araújo. Já o prefeito Zak, PT de carteirinha, deixou o Pros e foi para o PSD do governador com conchavos de Chico Cabral. Já os múrmuros sobre o professor Hildefonso afirmam que ele teria deixado o PTN e se filiado ao PSL, mas isso não foi confirmado, ficando apenas no campo da expiculação.  E três candidatos é o que o prefeito Zak deve pedir em suas orações matinais, porque deixa a sua campanha muito mais fácil. No mano a mano o “bicho pega”.

Batata declina em Inácio

Álvaro Pasqualin (PSC), o “Batata” declinou de sua candidatura a prefeito de Inácio Martins. Agora, a articulação segue na condição do PSC indicar um possível vice em uma das chapas que concorrerão ao pleito. A conversa mais alinhada está com o prefeito Junior Benato, que em bastidor admite a possibilidade da composição, mas sem definição específica.  O PSC de Inácio tem fortes laços com o deputado Hussein Bakri que tem atendido o município com emendas.  

Mais UTIs

Dentro do anúncio feito nesta quarta-feira (8). da abertura de mais 62 leitos de UTIs e 163 clinicos na Região dos Campos Gerais, o secretario Sandro Alex, informou que serão destinados 8 leitos de UTIs e 16 leitos para retaguarda da região no Hospital Santa Casa Em Irati. O anúncio foi feito junto do governador Ratinho Jr e é um passo a frente na crise da pandemia do Covid-19. Menos conversa, mais resultado!