Bairros de Irati
Ouro Verde

Em 29 de março de 1988, a administração municipal, em parceria com a COHAPAR – Companhia de Habitação do Paraná- iniciou um projeto diferenciado e inovador de casas populares em Irati, visando suprir a escassez de habitações na cidade. O nome do projeto era denominado de autoconstrução, denominado assim porque porque o próprio proprietário contratava a mão de obra para sua realização.

A municipalidade adquiriu parte do loteamento Ouro Verde, mais precisamente 8.233,60 metros quadrados, na quadra G, J e K. A área adquirida resultou em 20 lotes para novas casas.

Foram elaborados, pela Secretaria de Viação, Obras e Urbanismo, alguns projetos padrões para casas desse programa e disponibilizados para escolha pelos futuros proprietários, os projetos não ultrapassavam a área de 70 metros quadrados.

A Cohapar financiou, fiscalizou e assumiu a responsabilidade técnica pela construção das casas. Objetivando baratear o custo e viabilizar a obra a Prefeitura forneceu os terrenos e a pedra brita e areia, bem como os projetos, além de isentar de todas as taxas possíveis. Existia, na época, um convênio, chamado Casa Fácil, entre a Associação dos Engenheiros Civis de Irati, a Prefeitura Municipal e o CREA-PR – Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia e Prefeitura isentavam as taxas referente a essas obras de até 70 metros quadrados. Tratava-se de um excelente programa, que infelizmente não foi dado continuidade, como não havia a rede de esgotos próxima à obra, o conjunto foi atendido por fossas sépticas e, mais tarde, na administração de 1989-1992, o local foi beneficiado com rede de esgotos. Na administração de 1997-2000 o bairro recebeu calçamento com pedras irregulares, segundo informações de moradores e mutuários do local.

O bairro tem acesso pelas ruas Coronel Pires e pela Avenida José Galiciolli, próximo à Associação da Copel de Irati construiu sua sede campestre. Também nas imediações ao conjunto encontra-se o Loteamento Solaris, a extensão do Hospital Erasto Gaertner e o Colégio São Vicente de Paulo, ou seja, um bairro bem localizado e pouco distante do centro da cidade.

Foi um projeto inovador pois a autoconstrução de um conjunto habitacional ainda não existia em Irati e, infelizmente, não houve mais na sequência desse programa na nossa cidade.

O local atualmente possui rede de esgotos, pavimentação poliédrica e casas de um bom padrão, o que atraiu outros moradores que construíram belas casas no bairro. As ruas foram denominadas por nomes de países: Brasil, Polônia, Japão, México, Holanda, Espanha, Argentina, Alemanha, como que em homenagem a diversidade de moradores de outros rincões de Irati.

Com mais esse relato continuamos resgatandomais uma parte de um importante capítulo da história de Irati: a criação de novos bairros no mapa de nossa cidade.

Salve a história de nossa cidade!