Confidencial
Politica esquenta e Rodrigo pode ser vice de Derbli
(Foto: Nilton C Pabis)

Eleições 2020

Com o início do período das convenções, as tratativas e composição das dobradas se intensificam. Tudo o que vamos tratar na coluna desta edição pode alterar na sequência, sendo apenas um retrato do momento. Um dos fatos interessantes relatados na coluna de hoje é que, Felipe e Rodrigo, que foram prefeitos e eram da mesma base, poderão estar disputando candidaturas a vice em lados opostos. Assista a entrevista que Rodrigo concedeu a coluna Confidencial.

Incandescentes

Os bastidores estão incandescentes. Uma das maiores decisões é quem será o indicado a vice de Derbli para reeleição. Em alta, está o nome do ex-prefeito, Rodrigo Hilgemberg, atualmente, filiado ao DEM. O presidente do partido, Valdeci de Souza, anunciou o seu nome nas redes sociais junto do atual, Amilton Komntski, que segundo “informações de cocheira”, teria preferido disputar uma vaga na Câmara e liberar espaço para Rodrigo.

Legado 

O ex-prefeito, Rodrigo Hilgemberg (DEM), é um articulador por excelência e goza de tradição na política. Seu mandato ficou marcado pela vinda da maior empresa da cidade a Siemens, atualmente, YAZAKI. Empresário do ramo farmacêutico, e ex-presidente da ACIAI, pode agregar com experiência na atração de empresas. Expert no assunto, não tem pretensões, só entra na disputa se tiver espaço dentro da administração para trabalhar pelo município, fato este que coloca como condicionante para uma possível disputa a vice. Afirma que tem suas metas cumpridas e está descompromissado e “não precisa mais provar nada pra ninguém”. Isso se transforma em dedicação a administração. Mas sua candidatura acontece somente se for consenso do grupo de apoio ao prefeito. Até o momento, ele é apenas uma indicação do DEM e uma candidatura precisa ser tratada com caráter oficial, o que pode ocorrer em breve.

Por outro lado 

Por outro lado, o PV, partido da deputada Leandre, coordenado por Dagoberto Wadzyk, tem três nomes fortes na indicação para compor a dobrada. Um médico, e dois vereadores do interior. O médico Eugênio Mazepa, que é ex-prefeito de Inácio, mora em Irati e transita bem com a população dos bairros. Sua filha Larissa foi candidata a vice de Odilon e tributam a ela parte dos votos que a dobrada teve. Nei Cabral que é presidente da Câmara e mora no Guamirin traz a fórmula do candidato a prefeito da cidade e vice do interior. Hélio de Mello, além de ser vereador do interior é professor e tem boa oratória o que pode agregar ao candidato a prefeito. Decisão difícil.

Emiliano e Felipe

Defendendo as bases do governo o suplente de deputado e ex-prefeito de Irati e ex-deputado estadual Felipe Lucas (Cidadania), pode ser o candidato a vice de Emiliano Gomes (PSD). Isso acontece porque Felipe está na “boca” para assumir uma vaga de deputado. Atualmente, é o primeiro suplente de deputado pelo Cidadania. Caso fosse ele o candidato a prefeito e fosse vitorioso teria que renunciar ao cargo para assumir a vaga de deputado e jogando uma pá de cal em sua carreira política. O que se percebe é que Lucas está mais preocupado em assumir a vaga na Assembleia, fato pelo qual trabalhou muito na última eleição, mas não foge de uma boa campanha. Esta composição é a que deixa a eleição mais tensa em Irati, uma vez que Emiliano foi candidato contra Derbli na última eleição, virou secretário de Jorge e agora é candidato de oposição ao prefeito. Felipe e seu time apoiaram Derbli na eleição a prefeito, mas acabaram (para resumir) se distanciando durante o mandato.

Ico e Tino Santini

O professor Ico Ruva confirmou que o PSL fará dobrada com o Republicano. Os partidos representam a direita e até o momento está definido que Tino Santini será o vice. Ruva ainda afirma que o partido está conversando com o MDB de Josué Hilgemberg e com o Patriota de Robson Krupezak. Mas a proposta é uma composição pensando num plano de governo voltado a renovação. Segundo Ico, o vice já está definido. A convenção será dia 14. Robson Krupezak é procurador da Prefeitura de Irati e beira a suspeição um partido que é ligado ao prefeito está tentando compor em outra base.

 

6

No cenário, atual Irati tem seis candidatos a prefeito, mas pode reduzir a cinco. 

Josué e Caetano do Leite

É, o Josué deverá confirmar sua candidatura na convenção do MDB no dia 10 próximo. Impulsionado pelo presidente estadual, João Arruda, que está colocando candidato em todos as cidades possíveis, para fortalecer o nome da legenda. O vice o MDB está indo buscar no partido que teria como candidato o Nelsinho Antunes que declinou. Existe uma possibilidade de ajuste com o PDT, mas pode ser apenas especulação. Uma das hipóteses é que o MDB indicaria o Toninho do Mercado Móveis para vice do MDB, fato negado por “É Josué”. Segundo o advogado e franco atirador, o MDB poderia aceitar uma vice do PDT, mas o “Caetano do Leite”, completa a dobrada devido à entrada no interior.

João Dremisnki e o PCdoB

O PCdoB, partido de esquerda negou a informação que vai apoiar o PDT e pretende lança o professor João Dremisnki do IFPR como candidato a prefeito. João afirma que o partido prefere a indicação de uma mulher como vice e um dos nomes da própria legenda seria Lucimara Ribas. O partido em Irati busca ocupar um espaço deixado vago pela esquerda, mas ainda aguarda definições de outros partidos com quem está conversando e não descarta possíveis alianças. Sua convenção será dia 15.

Rafaela e o PDT

O PDT está conversando com os partidos de esquerda para dar continuidade a candidatura de Rafaela Ferençz, Luciano Menon (X Salada) PSB, que poderia ser vice, vai concorrer a vereador. Com isso, o partido aguarda conversas com outras legendas para definição da dobrada. O PDT ainda está conversando com o PCdoB, mas nenhum acordo a vista.

Mais candidato que voto

Em Mallet, teremos mais candidatos que votos. Ironias a parte, o número de candidatos pode chegar a cinco. O prefeito Moacir (PSD) deve ter como vice o vereador Chico da Gráfica ou Pedro Pauluk. Já o ex-prefeito, Rogério Almeida (DEM), que conseguiu a aprovação das suas contas no TCE, foi buscar como vice Ary Miranda(Podemos). Com isso, perdeu o apoio do pretenso vice Orlando Schiliga (PV) que agora definiu que irá disputar a vaga a prefeito. Para vice busca articular com Clemente Banhuk ou Toninho (PP), e ainda a ex-presidente do Hospital Nogara. O MDB mais uma vez influenciado pelo presidente estadual da legenda, João Arruda, vai lançar Fabio Baler, que busca como vice Setembrino da mesma legenda ou Pedro Kovaltik (PSL). Claudio Kaminski também esboça a possibilidade de lançar-se a candidato e tendo outro Claudio como vice. Segundo informações, Kaminski é o único que pode recuar por trabalhar fora.

Sem Novidades

Em Teixeira Soares não há novidades até o momento. A base do prefeito Lula que vai à reeleição está composta por cinco partidos. O PSD da vice Juliana é o primeiro a realizar as convenções no dia 12. O Podemos realiza no domingo 13. O PSB do prefeito Lula faz o lançamento oficial da candidatura do prefeito a reeleição na segunda (14). Outros partidos como o PSL e PSC fazem suas convenções na terça (15). Lula vai manter Juliana Belinoski como vice e ampliando a chapa de vereadores. Por outro lado, o PP ainda tem definição se o ex prefeito Ivanor Muller vai ou não disputar o pleito. “Informações de Cocheira” dizem que motivos familiares estão influenciando na decisão de Muller em concorrer ao pleito.

Ratinho em  Rebouças 

O governador Ratinho Junior esteve na Vila Facão, em Rebouçass inaugurando 53 casas do programa Nossa Gente.  O governo tem em Rebouças conquistas importantes como a requalificação Urbana na mesma vila, a pavimentação asfáltica da PR-364, onde o maior trecho é no município de Rebouças e a estadualização do trecho que liga Rebouças ao Marmeleiro, fatos encontrados no discurso do governador.  Estavam com o  governador, o secretário da Sejuf Mauro Rockenbach, o presidente da COHAPAR Jorge Lange, o chefe da SEIL Sandro Alex, O Lider do Governo Hussein Bakri e outras lideranças. O evento foi realizado dentro de todo o protocolo referente a pandemia.

Poucos prefeitos

Apenas o prefeito Moacir de Mallet esteve na solenidade. Como são pré candidatos apenas o presidente da Amcespar Vanderlei Kawa representou os prefeitos no palanque. É de se estranhar que nem os prefeitos que não vão a reeleição estivessem por lá. Nem mesmo o anfitrião, prefeito Zak não apareceu no evento. O impedimento legal, devido ao período eleitoral, é para não participar da inauguração, mas estar ao meio do povo até poderia. Mas toda cautela é pouca nessa hora. Os chefes dos escritórios do governo também não foram vistos por lá. No mínimo é de se estranhar a falta de carinhas conhecidas por lá. Apenas Marisa Lucas, chefe do escritório da SEJUF marcou presença.