Júri popular do caso Anna Silvia acontece nesta sexta-feira (22)

Julgamento começa às 9h, e acontece no Fórum de Teixeira Soares

O caso da morte de Anna Silvia Cabral deve chegar ao fim. O júri popular do acusado Joel Felipe Cardoso, ex-convivente da vítima, está marcado para esta sexta-feira (22), a partir das 09h, e acontece no Fórum de Teixeira Soares. A princípio, a população poderá acompanhar através do YouTube.

Anna Silvia foi encontrada morta no dia 24 de dezembro de 2012, em Fernandes Pinheiro, por suspeita de enforcamento. Porém, após um exaustivo trabalho da família, eles conseguiram reverter o caso e levar o amasio a julgamento por assassinato.

Para o advogado da família da vítima e assistente de acusação, Dr Samir Mattar Assad, eles esperam que este seja o fim do caso e o acusado seja condenado. “Após mais de oito anos, a família de Anna espera que a sessão enfim ocorra e que o acusado seja condenado nos termos da denúncia do Ministério Público, passando, imediatamente, a cumprir a pena pelo ato covarde e ardiloso praticado”, disse. “A prova científica produzida pelos peritos particulares e do Instituto de Criminalística da Polícia Civil do Paraná descartou a ocorrência de suicídio”, completa o assistente de acusação.

O advogado de defesa, Josué Hilgemberg, diz que espera a absolvição do acusado.  “Esperamos que o conselho de sentença absolva o acusado Joel Felipe Cardoso. Diante das provas que constam no processo, desde o primeiro momento do inquérito policial foi constatado que se tratava de suicídio, por enforcamento, inclusive, o próprio médico–legista, no exame inicial, deixou evidenciado. O grande dilema desse processo criminal que está colocado a júri é: diante de uma prova pública produzida pelo estado e uma prova privada produzida pela família da vítima. Estamos confiantes que a justiça será feita neste caso que é a absolvição do acusado, que vem sofrendo há anos por uma acusação totalmente injusta, inverídica e contraria a prova dos autos do médico, que avaliou no momento dos fatos de forma direta no corpo da vítima”.  

RELEMBRE O CASO

O caso é polêmico e cercado por várias nuances de episódios de investigação criminal. Anna foi encontrada enforcada pelo convivente debaixo de uma árvore nos fundos da casa. A notícia trágica abalou a comunidade de Fernandes Pinheiro. O IML buscou o corpo e concluiu por suicídio.

Mas isso não contentou o instinto dos pais que começaram a investigar o caso. Após reunir vários conteúdos contratam um advogado criminalista que deu sustentação ao caso. Para firmar os indícios, um perito particular foi contratado para averiguar as provas e sua veracidade e confirmar a tese de assassinato. Nesta hipótese, o convivente era o principal suspeito.

Após vários anos de estudos e constatações, o promotor de justiça da comarca, ofereceu denúncia contra o convivente de Ana Silvia, Joel Cardoso, apoiado em uma série de provas da autoria do crime.  Com os novos tramites e recursos da defesa, o juiz Jonathan Cheong, da comarca de Teixeira Soares, aceitou a acusação de que o convivente teria, possivelmente, praticado o crime remetendo o caso ao Tribunal do Júri. Os indícios vão desde prova material, como a corda que teria usado para o enforcamento, até testemunhal, em que vizinhos afirmam que teriam ouvido o pedido de socorro na madrugada do fato.