Major Flávio Ferraz deixa comando da 8ª CIPM e tenente Gisleia assume, interinamente

Troca aconteceu devido ao major assumir o 16º Batalhão de Guarapuava, que teve mudança após ataques

Jaqueline Lopes

Após quatro dias dos ataques em Guarapuava, a Polícia Militar do Paraná decidiu pela troca de comando do 16º Batalhão. Quem assume o cargo é o major Flávio Vicente Ferraz, que comandava a 8ª Companhia Independente da Polícia Militar de Irati (CIPM).A partir disso, quem está no comando da 8ª CIPM, interinamente, é a tenente Gisleia Ferreira.

O tenente-coronel Joas Marcos Carneiro Lins deixou o cargo do 16º Batalhão esta semana.A oficialização da troca aconteceu na quinta-feira (21) e, de acordo com a nota da PM, “a transferência foi uma decisão do Comando da Corporação, em face dos últimos acontecimentos e circunstâncias ocorridos em Guarapuava nos últimos dias”. O tenente-coronel Joas foi para a função de Chefe de Estado-Maior do 4° Comando Regional (CRPM), em Ponta Grossa.

8ª CIPM

Os 10 municípios atendidos pela 8ª CIPM serão comandados, interinamente, pela 1ª Tenente Gisleia, que já é a subcomandante, e continua com as duas funções, até que seja designado um novo comando, sem data prevista para acontecer.

A tenente atua há 27 anos na PM, é natural de Irati, e conhece bem a região. Segundo ela, dará continuidade ao trabalho já realizado. “Como subcomandante, já trabalho na parte operacional da tropa que desenvolve operação, verifica índices de criminalidades para ver onde aplicar melhor a tropa, faz operações, arrastão, onde tiver de necessidade de estar colocando a tropa diferenciada a gente sempre está no comandando. Não vai mudar muito na forma de trabalhar”, disse.

Ela ainda comenta que a população pode confiar no trabalho que vai realizar. “Inclusive, quero agradecer, agora assumindo o comando interino, vejo que está tendo uma recepção muito boa para mim, e quero dizer que podem contar sempre comigo. As portas da CIPM vão estar abertas a todos. Vamos estudar a melhor maneira de atender a nossa comunidade. A população pode continuar confiando na Polícia Militar, e a gente está sempre à disposição”, finaliza.

Gisleia entrou para a Polícia Militar em 1996,em Guarapuava, onde trabalhou por cinco anos. Depois, foi para Ponta Grossa, onde ficou por mais cinco, já atuou em Curitiba e na coordenação estadual do Proerd, função em que viajava o Paraná inteiro, quando conheceu as regiões do estado. Além disso, ela esteve na Polícia Ambiental, também em Guarapuava.