Mulher de Prudentópolis conta sobre pedido realizado de Nossa Senhora das Graças

Célia Malinoski da Cruz relata como superou a doença grave que tinha com uma graça recebida da Santa, e fez uma romaria até Irati em agradecimento

Neste 27 de novembro, dia de Nossa Senhora das Graças, a Santa que está na colina em Irati, uma das imagens mais altas do mundo, construída em 1957, no aniversário de 50 aNeste 27 de novembro, dia de Nossa Senhora das Graças, a Santa que está na colina em Irati, uma das imagens mais altas do mundo, construída em 1957, no aniversário de 50 anos do município, a Célia Malinoski, moradora de Prudentópolis, conta a história de vida e a graça recebida, que renovou e deu uma nova oportunidade para ela.

Célia vive em Prudentópolis, na Vila Fátima, com o marido e dois filhos. Hoje, aos 38 anos, quem vê ela renovada e animada não imagina o que passou por anos. Desde os 17 anos, a devota tinha um problema grave nos dois pés. Ela tem psoríase, dermatite de contato e infecções nas articulações. Apesar de ter tratamento, a diabete de Célia prejudicou muito a dor e os tratamentos.

Célia Malinoski da Cruz, junto da filha Claudia e o marido Claudio após a graça alcançada. Foto: Nilton Pabis

Com essa dificuldade, a moradora de Prudentópolis não podia andar mais de 500 metros, passava dias na cama, não conseguia fica em pé por mais de 10 minutos. Também, sempre andava de meias, porque o pó fazia mal para o problema de saúde, tinha febres constantes e as dores nas pernas eram insuportáveis, conforme ela relata. Para dormir, precisava de calmante.

“Além de nossa Senhora das Graças ter me curado, ela me deu uma nova vida.” – Célia Malinoski

Há mais de 10 anos faz o tratamento e toma remédios, mas, neste ano, os medicamentos precisaram ser cancelados, pois por serem muito fortes, uma ulcera iniciou, e teve a notícia dos médicos que não tinha mais que fazer, e precisaria ficar na cadeira de rodas.

GRAÇA ALCANÇADA

Um dia, após os médicos desacreditarem na cura de Célia, um amigo virtual de Facebook, perguntou sobre os exames e disse: “E Deus, falou o que?”. Foi com essas palavras que Célia teve uma luz. “O meu amigo é uma pessoa de muita fé, acompanhou meu sofrimento. E quando disse essas palavras, aquilo me renovou”.

Célia sempre foi devota a Nossa Senhora das Graças, mas a dor era grande e o sofrimento tanto que disse que perdeu a fé, “Não vou mentir, eu perdi a fé. Por um bom tempo eu não rezava mais, porque a dor era insuportável. Quando a dor é demais você fica fraco, é preciso desses anjos de Deus estarem atento a essa situação”, comenta.

Neste mesmo dia, à noite, Célia sentou no sofá de casa e fez o pedido e oração a Deus e a Nossa Senhora das Graças. “Falei como se estivesse conversando, pedindo de coração, que se fosse mesmo para eu ficar de cadeira de roda eu aceitava, mas que tivesse piedade, pelo menos, da minha filha”, disse. “Eu acreditava que a Santa era capaz de me curar, eu tinha fé que se ela quisesse me tirava do sofrimento que estava. Eu prometi rezar um terço para ela”, completa.

Naquele dia, Célia não tomou o remédio e foi dormir. Até o filho que chega de madrugada do trabalho relatou para ela que não quis acordá-la porque viu a mãe dormindo tranquilamente. No dia seguinte, a devota conta que estava renovada e foi lavar as calçadas de casa. “Falei para minha mãe: Eu sarei, eu mesma vou lavar. A partir de hoje eu mesma vou fazer o meu serviço, porque estou bem”.

Celia ainda sentia dores, os pés sangravam e as feriadas estavam abertas, mas ela insistiu em pisar. E hoje, já faz caminhadas mais longas e vive normalmente. Ela diz que tem a oportunidade de uma nova vida e que é para fazer o bem para outras pessoas, ajudar como pode. Célia arrecada roupas, calçados, alimentos e entrega àqueles que mais precisam.

“Quantas pessoas recebem a benção de Deus e não sabem valorizar a oportunidade que tiveram. Nesta outra oportunidade, quero fazer a diferença, quero partir daqui sabendo que fiz alguma coisa por alguém” – Célia Malinoski

Há quatro meses, Celia se sente bem melhor, não tem dores fortes e consegue fazer muitas coisas que antes a dor impedia. Ela ainda não foi ao médico para verificar como pode ter melhorado, pois quer que todas as feridas estejam cicatrizadas. Mas ela credita que Nossa Senhora das Graças a curou.

O pároco da Igreja São Miguel, Luiz Mirkoski, comenta sobre a graça alcançada por Célia. “Para ver como que deus age em nossa vida, principalmente nos momentos difíceis. O testemunho da Célia que suplicou a Nossa Senhora da Graças em favor de uma doença. Para nós, hoje, nestes tempos tão difíceis que não temos fé, diante de tantos problemas, como é bom esse ouvir o testemunho de uma pessoa que conseguiu e alcançou, pela oração, pela sua fé e confiança a recuperação da saúde e, mais do que isso, a harmonia junto à sua família e comunidade, pelo dom, pela graça recebida. Depois, isso se transformou em um serviço para os outros”.

Na Romaria, Célia fez um terço de balões para Nossa Senhora.

ROMARIA

No dia 08 de novembro, Celia, a famílias e os amigos vieram a Irati em romaria, até a Colina de Nossa Senhora das Graças, para agradecer a Santa. Para ela, “foi um dia muito abençoado, de muitas bênçãos. Como foi bom aquele dia em agradecimento, porque para nós foi uma benção tão maravilhosa”. No dia, aconteceu a Santa Missa, ela fez um terço de balões, rezaram e compartilharam alimentos. Um ônibus cheio veio de Prudentópolis até Irati para agradecer a graça recebida de Celia.

A devota não tinha prometido uma romaria quando fez o pedido. A ideia surgiu em uma viagem para Rio Azul. Apesar das dificuldades que teve para conseguir trazer todos que queriam conhecer o monumento, no fim tudo saiu como esperado. “É uma coisa de Deus, minha fé é tão grande nela (Nossa Senhora das Graças) que acho que ela providenciou”, comenta.

Agora, a moradora de Prudentópolis pretende fazer mais romarias até Irati para visitas na Colina, pelo menos, uma vez por ano.

“Eu estou bem, não tem como ter algo concreto, para mim, é a vida que eu vivo agora, em agradecimento a Nossa Senhora das Graças, porque foi ela que me libertou, que me curou da prisão que eu estava. Ela me resgatou de volta. O milagre é dela, sim”. – Célia Malinoski

NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS

Nesta sexta-feira (27), na Colina Nossa Senhora das Graças, acontecerão três missas para comemorar o dia da Santa. Devido à pandemia, os demais eventos foram cancelados, mas estará aberta para as orações da comunidade. “Nós faremos uma consagração do município de Irati para entregar a Nossa Senhora das Graças, para que ela cuide e proteja, além de fazer um pedido que Deus nos ajude e mostre a verdade das coisas”, disse o pároco.

Missas: 10h – 12h – 20h