Vacinação contra a Covid-19 não significa imunização imediata

Para proteger totalmente o organismo precisa de cerca de duas semanas para fazer os efeitos necessários

O Governo do estado quer intensificar a vacinação contra a Covid-19 em todo o Paraná. Com o anúncio de mais imunizantes que serão comprados pelo Governo Federal, o governador Carlos Massa Ratinho Junior prevê que será necessário aumentar os dias e horários para campanha, porém seguem normalmente.

Mas tomar a vacina não significa que a pessoa estará imune imediatamente. De acordo com a enfermeira, Jéssica Cristina Mattos, precisa de cerca de duas semanas, após a segunda dose, para que a pessoa esteja imune ao vírus. “As duas vacinas que a gente recebe do Ministério da Saúde necessitam de duas doses, e só após cerca de 14 dias da segunda dose que pode ser considerado protegido, imune. Durante todo esse período, a pessoa precisa continuar com os os devidos cuidados. Ainda é passível de se infectar com o coronavírus”.

 

Em Irati, 3.902 pessoas já foram vacinadas e 918 tomaram a segunda dose, de acordo com o último vacinômetro disponibilizado pela equipe.  Segundo a enfermeira Jéssica, a população tem aderido bem a vacinação e procurado as Unidades de Saúde e Secretaria para esclarecer dúvidas e saber quando será a vez. Todos os locais de vacinação tomam os devidos cuidados e disponibilizam álcool gel, evitam aglomeração e é necessário utilizar a máscara.

A Prefeitura criou um sistema de cadastro para a logística das doses. A pessoa que vai receber a vacina faz o cadastro no site da Prefeitura. Jéssica destaca que o não preenchimento do cadastro não impede de tomar a vacina, mas serve para organizar e distribuir as doses nas unidades de saúde.

A secretária de Saúde de Irati, Jussara Aparecida Kublinski Hassen, explica que a vacina é importante, mas ainda são necessários os cuidados. “A vacinação é extremamente importante para este grupo que recebe, mas a maior são os cuidados, porque estamos com 3% da população vacinada, e o restante continua com os cuidados, esta cepa nova veio muito agressiva, esse vírus está muito rápido, levando pessoas muito jovens, A nossa proteção é o cuidado”.

Vacinas são distribuídas nas unidades de saúde

UNIDADE VOLTANTE

Para atender toda a população e não aglomerar nas unidades de Saúde para as pessoas receberam a vacina, a Prefeitura de Irati criou uma unidade volante no pavilhão do Parque Aquático, com um espaço maior com comodidade e segurança ás pessoas que forem receber o imunizante. As 11 unidades de Saúde também têm a vacina e a pessoa pode receber no local mais próximo. Também, há um local em frente que funciona o drive-tru, que se a pessoa está impossibilitada de descer recebe dentro do veículo.

REGIÃO

Na região, os municípios seguem o cronograma do Ministério da Saúde para vacinação, começaram pelos profissionais de saúde, seguindo de idosos, trabalhadores da saúde, indígenas, entre outros. Até o momento, cerca de 15 mil doses chegaram para 4ª Regional de Saúde e foram aplicadas nestes grupos. Nesta semana, os idosos de 70 a 74 anos são vacinados com a primeira dose.

As vacinas chegam toda a semana, e uma equipe da Regional busca em Curitiba, no Cemepar, e logo são distribuídas aos municípios. A quantidade é definida pelo estado que tem contabilizado a quantidade de pessoas de cada faixa etária que receberá a vacina. “É assim que funciona, não vamos ficar sem vacinas, é o comprometimento do nosso Governo do Estado, Federal, que este trabalho ande em sincronia, para que toda a população seja ainda vacinada neste ano, essas faixas etárias que estão preconizadas pelo ministério”, disse o chefe da 4ª Regional de Saúde, Walter Trevisan.

A adesão nos munícipes também está boa nas cidades da região. Alguns municípios finalizam os 100% das faixas etárias e quando sobram doses já iniciam outros grupos prioritários para a vacinação.  

OLHO:

“A vacina é uma esperança que tudo melhore, mas os cuidados precisam continuar”.

Walter Trevisan