Irati receberá relíquia de São João Paulo II

Este é um marco para o município, que deve receber o objeto, ou restos mortais, no próximo mês

Um momento histórico para os católicos de Irati está previsto para acontecer no 29 de setembro deste ano, chegará ao município a relíquia de primeiro grau de São João Paulo II, que ficará na Paróquia São Miguel. Este é um grande momento para a Igreja Católica e para a população polonesa que tem raiz forte em Irati.

Ainda não se sabe qual é o objeto que virá para o município, mas é algo pequeno e que também podem ser restos mortais. O pároco da Igreja São Miguel, Luiz Mirkoski, acredita que o forte movimento polonês que tem em Irati e na paróquia, como o coral e celebrações em polonês, devido São João Paulo II ser polonês, fizeram com que a paróquia fosse escolhida para ter a relíquia tão importante para o catolicismo. A igreja foi escolhida entre todas das Dioceses de Ponta Grossa, pelo Bispo Dom Sergio, mais uma relíquia ficará em Castro.

Irati tem uma ligação com São João Paulo II, na época em que era Papa entregou dois presentes: o sino, que está na Capela São Francisco de Assis, e o quadro de Nossa Senhora de Monte Claro, Częstochowa em polonês, padroeira da Polônia, que está na Paróquia São Miguel. Estes presentes também podem ser um elo para vir para o município a relíquia do pontífice, mas não existe um fator especifico.

O padre conta da alegria que sentiu quando soube da notícia, pois sua vocação veio quando assistia a visita do Papa ao Brasil. “Foi um susto da graça de Deus. Pensei: é sério isso? É verdade? É um privilégio, porque a minha vocação surgiu através do testemunho de vida de São João Paulo II, quando visitava o Brasil, eu, assistindo pela TV, tive a certeza de seguir a vida sacerdotal. Então foi uma alegria. Também creio que foi uma resposta pelo dom da minha vocação confirmada, pela devoção deste povo que tanto reza. Isso alegra o coração, a vida, dá uma certeza de que vale a pena, e me deixa muito feliz e com coração cheio de gratidão por viver este momento, e fazer parte desta história”, conta Mirkoski.

ONDE FICARÁ

O padre explica que a relíquia ficará dentro da igreja, no altar, e terá uma celebração campal no pátio, a pretensão é que aconteça no dia 29 de setembro, em que é comemorado o Dia de São Miguel. Já no dia 22 de outubro, em que é celebrado Dia de São João Paulo II, a relíquia ficará em exposição na igreja embaixo do quadro de Nossa Senhora de Monte Claro, presente do papa, ao lado da cruz. A intenção é levar o objeto até as comunidades que fazem parte da igreja.

Após a entronização, a paróquia se tornará um local de promoção da devoção ao santo, muitos fiéis devem visitar Irati para ver a relíquia. “Somos os responsáveis por cuidar dessa relíquia, com muito carinho e responsabilidade e promover a devoção a São João Paulo II, com os jovens e pelos jovens faremos esse bonito trabalho”, completa. Quando papa, o santo criou o Dia Mundial da Juventude e teve uma atuação forte com a conversão dos jovens no mundo todo.

SANTUÁRIO EM IRATI

A discussão sobre a construção de santuário em Irati pode ficar mais evidente com a chegada da relíquia. São João Paulo II era grande devoto a Nossa Senhora e esse pode ser um elo importante para a construção, que agora também pode ser em nome do santo. “Lanço tudo na mão de Deus, Ele sabe como conduzir esta história e vai nos dizer o que fazer, de quem será vai nos mostrar onde construir esse local de peregrinação, devoção de muita fé oração. Há uma ligação forte, pode ajudar muito, mas ainda não sei dizer onde e de quem será, mas que está vindo, isso sim”, conclui o padre.

SÃO JOÃO PAULO II

São João Paulo II nasceu no dia 18 de Maio de 1920, em Wadowice, na Polônia. Foi batizado com o nome de Karol Wojtyła. Em Outubro de 1942, entrou no seminário de Cracóvia clandestinamente, e em 1º de Novembro de 1946, foi ordenado sacerdote. A ordenação episcopal de Wojtyla foi em 28 de Setembro 1978. No dia 13 de Janeiro de 1964, foi eleito Arcebispo de Cracóvia. Em 26 de Junho de 1967, foi criado Cardeal por Paulo VI. Na tarde de 16 de Outubro de 1978, depois de oito escrutínios, foi eleito Papa, e dedicou 27 anos ao Vaticano, até o dia de sua morte, em 2005. Em 2011, foi beatificado e em 2014 se tornou santo e canonizado.