Médico de Irati é premiado em Congresso Internacional

Dr. Gustavo Vasili Lucas recebeu um prêmio pela apresentação no 6º Congresso Latino Americano de Oncologia

O médico de Irati, Dr. Gustavo Vasili Lucas, recebeu um prêmio pela apresentação no 6º Congresso Latino Americano de Oncologia. Ele participou da categoria oncoginecologia e junto do colega de profissão do Peru, Gustavo Sandival Ampuero, relataram um caso e receberam a premiação.

O Congresso envolveu líderes de oncologia espalhados no mundo todo, principalmente europeus e latino-americanos, e tem como objetivo o aprendizado. Inicialmente, o evento aconteceria no ano passado, em Buenos Aires, mas por causa da pandemia foi adiado, e realizado de forma online.

 

Eu não esperava ganhar uma premiação por isso, e fiquei muito contente com o resultado apresentado”

                                                                                                                      Dr. Gustavo Vasili Lucas

Foram três dias de congresso, a categoria dos colegas foi no último. O caso apresentado pelo médico de Irati foi de uma paciente de 50 anos que tinha câncer de ovário metastático, ou seja, o câncer tinha saído do ovário e atingiu outros órgãos dentro da cavidade abdominal. Ela fez algumas sessões de quimioterapia e, neste período, a equipe, junto de Gustavo, investigou pelo histórico familiar da paciente que ela tinha uma mutação genética que favorecia o uso de uma medicação específica, que inibe esta mutação.

Um fato curioso sobre o caso é que o medicamento utilizado pela paciente não é aprovado no Brasil, e ela buscou na justiça para utilizar a medicação, e conseguiu. “A gente deu uma medicação específica e ela vive muito bem sem a presença do câncer, nos últimos quatro anos, sem fazer quimioterapia e com baixo efeito colateral”, disse Gustavo.

Gustavo Lucas teve que tomar a linha de frente na apresentação, pois o colega Ampuero, no dia do Congresso, se recuperava da Covid-19. Eles apresentaram juntos porque tiveram casos parecidos. 

Sobre ganhar o prêmio pelo trabalho apresentado, o médico de Irati diz que todos os casos apresentados foram muito bons e não esperava.  “Foi muito bom e uma grande surpresa. Os casos que foram apresentados, dos latino-americanos foram muito bem, eu não acreditava que poderia ter uma premiação. A hora que vi o meu nome fique muito feliz. É um caso comum que gerou bastante discussão”, comenta. Depois de encerrar o Congresso, os médicos fizeram um café virtual e comemoraram o prêmio.

Apesar da pandemia, a forma online do evento possibilitou que diversos líderes europeus pudessem participar. Também, a troca de experiência entre os oncologista é sempre válida, mesmo que virtual. 

Gustavo diz que vai participar dos próximos congressos. Ele não pode mais receber prêmios, mas pode estar como ouvinte. “Essa troca de experiência entre os oncologistas tem que acontecer, porque temos que saber se estamos no caminho certo para tratar os pacientes. O Brasil forma grandes oncologistas, temos uma representatividade muito grande. Acredito que com isso a gente possa ter maior vivência nesse ambiente, trazer mais pesquisas clínicas para que os pacientes se beneficiem e possamos fazer o melhor tratamento oncológico”.