Presidente da FIEP fala sobre as mudanças na contribuição sindical

Campagnolo esteve em Irati conversando com presidentes de sindicatos da região

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP), Edson Campagnolo, esteve em Irati nas últimas semanas para eventos e conversas com presidentes dos sindicatos do município e da região, onde expôs sobre propostas como as mudanças na contribuição sindical, além de falar sobre as eleições da instituição.

Campagnolo conversou com a Folha de Irati sobre essa alteração na Lei Trabalhista, aprovada no ano passado, pelo ex-presidente, Michel Temer, em que torna opcional a contribuição sindical, assim, o empregado paga um dia de trabalho ao sindicato se desejar.

Ele explicou como isso afeta os sindicatos de todo o estado. “Com a nova Lei gera a discussão, como o sindicato vai ter a sustentabilidade? Como vai manter a sua estrutura física? Na nossa opinião, um depende do outro, tanto o sindicato elaboral, como o patronal, tem que estar em perfeita harmonia, naquela máxima de capital e trabalho, para que haja um ambiente muito propício em todas as regiões, e em todo o Brasil”, comenta.

Campagnolo ainda enfatiza que estão dialogando com todos os sindicatos e que percebeu boas práticas desenvolvidas em ambos, para que aconteça a arrecadação e a harmonia necessária. “Percebendo boas práticas de uma e outra, para que esteja fazendo esse movimento e que haja uma interação entre eles, esse é o grande desafio, sustentabilidade sindical para que o associativismo não fique marginalizado e que cada uma das partes, trabalho e capital, estejam em perfeita harmonia, para que a nossa economia, como um todo, se desenvolva”, disse.

Edson Campagnolo deve deixar a presidência da FIEP em breve, ainda este ano acontece uma nova eleição na instituição. “Considero que nós fizemos um bom trabalho, mas o próximo presidente, o desafio é melhorar aquilo que a gente já fez, e é isso que eu espero que aconteça”, finaliza.