Santo Fole inicia gravações do programa ‘Estrelas do Sul’ em Irati

Um reality show de música gaúcha com a participação de bandas do RS, SC e PR

Kauana Neitzel

Nesta semana, foram iniciadas as gravações do programa ‘Estrelas do Sul’, realizado pelo Santo Fole, em formato de reality show musical, selecionando bandas gaúchas com o objetivo de revelar a nova estrela do sul do país. São quatro jurados renomados na música regional gaúcha que vão selecionar os melhores grupos que se inscreveram para participar, passando por fases até a grande final. O primeiro lugar ganha R$ 15 mil e mais uma gravação em audiovisual.
Foram mais de 100 inscrições de todo o Sul do Brasil (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande de Sul) para esta primeira edição, destas, 20 bandas foram selecionadas para vir até Irati participar da gravação do programa. Cada um dos jurados, João Luiz Corrêa, Regis Marques, Victor Pedroso e Leko Bertoldo, irão formar grupos com três bandas que vão se classificando para a final, que ocorrerá em janeiro de 2022 com os quatro finalistas.
“O ‘Estrelas do Sul’ é idealizado com o intuito de alavancar a nossa música regional, ainda mais neste momento de pandemia, e realmente ajudar as bandas que estão começando no Sul, mostrando a versatilidade da nossa música. O programa está recheado de conteúdo inovador e, ao mesmo tempo, com tradição”, avalia Paulinho Pezak, músico e idealizador do programa.
Não foi cobrada taxa de inscrição e as bandas só arcaram com as despesas de viagem para chegar até Irati. A hospedagem e alimentação são totalmente gratuitas. Paulinho comenta que foi difícil fazer a seleção dos grupos, pois “tem muita coisa boa escondida por aí que nós nem imaginamos”.
“Não são apenas artistas emergentes que estão começando que participaram. Temos grupos com mais de 20 anos de história. Da para ver a importância que o programa tem, inclusive,depois de encerradas as inscrições, muitos artistas me procuraram para se inscrever”, relatou o jurado Victor Pedroso, que hoje é sócio e integrante do grupo Portal Gaúcho.O programa está recheado de conteúdo inovador e, ao mesmo tempo, com tradição

O programa está recheado de conteúdo inovador e, ao mesmo tempo, com tradição

Paulinho Pezak


João Luiz Corrêa, jurado do ‘Estrelas do Sul’ que tem a carreira como cantor, compositor, acordeonista e coleciona inúmeros sucessos, avalia de forma positiva as gravações. “O programa será importante para os músicos que trabalham nas suas regiões, mas não têm um palco maior e agora estão tendo esta oportunidade, sendo valorizados. Nós trabalhamos a vida toda para conseguir o nosso espaço e não queremos que os músicos sofram o que a gente sofreu. O que puder ajudar para cortar caminho, nós vamos ajudar”, elogia.
“Acredito que este programa veio para resgatar o futuro da música gaúcha, abrir portas, fazendo com que os jovens, ao assistir o programa, peçam para os pais uma acordeona por querer estar no ‘Estrelas do Sul’. Será um dos programas de maior envergadura em prol da cultura gaúcha”, diz o jurado Régis Marques, que já gravou mais de 500 discos de inúmeras bandas e trabalha como cantor, multi-instrumentista, compositor e produtor musical.

É a primeira vez que participamos de algo assim e, na verdade, acho que será a única, nunca existiu nada igual


O jurado Leko Bertoldo, baterista, músico, artista, produtor e compositor, reconhece a dificuldade de escolher as bandas a serem classificadas. “A gente realmente fica com o coração na mão, tem muita coisa boa e tendência vindo. São vários nichos dentro da própria essência, nativista, fandangueira e outras. Na hora de eliminar fica realmente muito complicado”, desabafa.
Mari Mussoi, vocalista do grupo The All Pargatas de Bento Gonçalves do Rio Grande do Sul, considera a participação no programa como algo único. “A gente não fazia ideia de como seria. É difícil de imaginar. Chegamos aqui e fomos surpreendidas com muito carinho, uma estrutura fantástica, a equipe da produção todo mundo muito atencioso, bom gosto e uma hospitalidade de tirar o chapel. É a primeira vez que participamos de algo assim e, na verdade, acho que será a única, nunca existiu nada igual”, reconhece Mari.
A vocalista ainda diz que o evento tem uma representatividade cultural muito grande. “Vai além do Sul, isso pode atingir o Brasil inteiro. Às vezes, o Sul tem dificuldade de se conectar musicalmente com outras regiões do país, eu vejo essa iniciativa do Santo Fole como uma oportunidade da gente expandir a música para outros lugares, como a música de fora chega aqui para nós”, conclui Mussoi.
O primeiro episódio do programa ‘Estrelas do Sul’ vai ao ar no dia 24 de outubro, no período da noite, e, a partir daí, será disponibilizado um a cada domingo no canal do YouTube do Santo Fole. São 11 episódios, sendo a final no 12º com a gravação ao vivo, com as quatro bandas,com uma de cada jurado e quem vai escolher o grande vencedor será o público.

Grupo The All Pargatas ficou entre os 20 classificados no Estrelas do Sul – Crédito: Nilton Pabis