13 de março de 2022

As vezes é tão salutar se permitir mergulhar no silêncio e desencadear a experiência da observação. E neste silêncio de

As vezes é tão salutar se permitir mergulhar no silêncio e desencadear a experiência da observação. E neste silêncio de nada dizer, perceber que “ há um único recanto do Universo que podemos ter certeza de melhorar: o nosso próprio eu.
É na percepção do silêncio, que nos permitimos saber o quanto somos absorvedores de um mundo externo, o qual nos preenche de um jeito que não sabemos até onde somos por essência o nosso próprio eu.
Porque ser eu, melhorar a si mesmo, despertar para si mesmo, parece algo meramente filosófico, sem sentido absoluto que represente algo dessa natureza, quando estamos inteiramente voltados para o silencio, percebemos a própria presença a ponto de perceber que algo sempre está acontecendo no entorno.
É a partir do silêncio que é possível viver algo simples e novo, porque diria Fernando Pessoa: “Às vezes podemos ouvir passar o vento e só de ouvi-lo passar e desfrutar dele, sentir que valeu a pena ter nascido”.
Às vezes é possível sentir o sabor e a doçura da liberdade ao lançarmos o olhar e nos depararmos com o vôo despretensioso daquele semente alada , que aproveita graciosamente a brisa do vento e se lança livremente na aventura e parte para uma nova aventura, de nascer em algum lugar qualquer do universo, porque parece estar dentro da semente que para viver basta existir.
Porque tudo nos ensina que é preciso “ deixar a vida fluir, deixar a vida acontecer e deixar a energia do bem a nos envolver e despertar para a sincronicidade para nos tornarmos exímios observadores, aqueles que se admiram com a interação entre a planta que amanheceu hoje coberta por singelas flores e as abelhas reverenciam sua presença. No dia seguinte esta cena já não se repete mais .
Porque é o silêncio por si só nos faz ser observadores de tudo o que a vida. Talvez Sêneca quis nos chamar a atenção de que é preciso apressar-se a viver bem e pensar que cada dia é, por si só , uma vida. Que digam as abelhas que não esperam outro dia para visitar as flores.
Que sejamos sempre interação entre tudo que faz fluir a vida tendo a certeza que o universo nos molda para essa grande e única experiência.