Dia das Mães recebe um olhar diferente devido ao isolamento social

Muitas foram as mudanças durante a pandemia, as mães e seus filhos também tiveram que passar por adaptações no dia a dia

Desde o início da pandemia muitas mudanças ocorreram no cotidiano das pessoas, o isolamento social levou à suspenção de aulas presenciais e ao home office para algumas profissões. As mães são as maiores influenciadoras na vida dos filhos, e tiveram que enfrentar adaptações dentro de seus lares. Neste ano, o Dia Das Mães, assim como outras datas, está tendo um olhar diferenciado, conforme relataram três mães do município de Irati, cuja característica em comum é ser mãe em tempos de pandemia.

Loriane Filipak Fleischer é psicopedagoga, e mãe de um menino de 10 anos e de outro de 17 anos de idade, ela conta que foi preciso uma reorganização dentro de sua casa. “Os compromissos e as responsabilidades acabaram sendo de todos, então foi necessário fazer divisão de tarefas, foi preciso readequar a nossa realidade”, comenta Loriane.

A psicopedagoga explica que este momento exige muito mais das mães, pois é precisa orientar e ter mais atenção nos filhos, além da casa, tem a questão da escola, que apesar de estarem longe da sala de aula, tem as atividades escolares a distância.

“É um privilégio ser mãe, independente se o filho foi desde a gestação ou se foi adotado, o importante é ser mãe. Então eu recomendo que as mães curtam bastante, façam atividades com seus filhos, coisas que deixem memórias na vida de vocês, porque ser mãe é uma dádiva de Deus”, diz Loriane.

Vanessa Scheiffer Maia Voitechen é professora, mãe de quatro filhos, que têm idade entre 22 e 14 anos, e relata que o lado positivo desta quarentena é desfrutar o maior tempo com os filhos. A rotina da família também teve alterações, pois ela ajuda seu filho mais novo nas atividades escolares e também orienta os pais, enquanto professora.

“Apesar do trabalho em casa, estar sendo mais cômodo, ele se torna mecânico, pois o contato com os pequenos, as adversidades da sala de aula, me motiva, alegra e impulsiona para sempre estar melhorando e suprindo as dificuldades que possam surgir pelo caminho. Além do contato com os colegas de trabalho, que me trazem experiências valiosas”, relata a professora.

As duas filhas mais velhas de Vanessa são casadas, mas moram próximas, por isso, continuam se encontrando e tomando todas as medidas de prevenção. “O Dia Das Mães, infelizmente, será atípico aos demais. Nos anos anteriores, todos íamos na casa de minha mãe para preparar o almoço e passar o dia. Neste ano, o almoço será aqui em casa, só nós. Mas, será cheio de alegrias e bênçãos também, pois estas medidas são necessárias”, ressalta Vanessa.

Luciane Neves trabalha na área de saúde como gestora da garantia da qualidade, é mãe de um menino de nove anos de idade, e conta que, com o isolamento social e o enfrentamento do coronavírus, foi necessário fazer muitas modificações em casa.

“Estou tendo que adaptar os horários para poder trabalhar as matérias escolares, os estudos da catequese, pois hoje tudo está sendo feito online”, explica a mãe.

Ela conta que a maior dificuldade está no trabalho, por estar ligada à saúde que se encontra em uma situação muito delicada. No início da pandemia foi adotado a ideia de os funcionários não irem almoçar em suas casas, pelo fato de ter que chegar em casa tomar banho e trocar de roupa. Passar o dia todo no trabalho seria uma forma de diminuir os riscos de contaminação e principalmente evitar de levar qualquer mal para dentro dos lares.

“Neste período meu filho fica com minha mãe, e ela é uma pessoa idosa, então o meu cuidado é redobrado com os dois, tive que me distanciar um pouco deles, porém ao mesmo tempo minha atenção nele tem que ser maior, por causa do ensino a distância”, conta Luciane.

Ao chegar em casa, a primeira coisa que Luciane faz é tirar sua roupa e deixar ela fora de casa, mesmo depois de tomar banho e ter todos os cuidados de higienização se sente preocupada, e acaba tendo um contato mais restrito com os familiares.

DICAS DA PSICOPEDAGOGA LORIANE, PARA AS MÃES QUE ESTÃO EM QUARENTENA COM OS FILHOS:

Uma agenda para facilitar a vida das mães; impor horários para realizar atividades prazerosas, para estudar, para ajudar em casa, para dormir e acordar; fazer um local de estudos para a criança, o ideal é um local mais tranquilo com uma boa iluminação, sem objetos que tirem a atenção e com cadeira e mesa adequadas.

Quando os pais não estão conseguindo fazer com que o filho entenda algum conteúdo específico, não é preciso entrar em pânico, segundo Loriane, é recomendável que anotem na própria agenda da criança para que no retorno das aulas essas anotações cheguem até os professores e eles deem uma atenção especial naquele conteúdo. “Porque, realmente, nem todos os pais têm a habilidade de ensinar seus filhos, por isso é bem interessante anotar e frisar as principais dificuldades para que depois os professores possam esclarecer”, explica a especialista.