Lagos na calota polar sul de Marte podem ser apenas miragens, indica estudo

A possibilidade de encontrar lagos no Planeta Vermelho foi levantada pela primeira vez em 2018

Olhar Digital / Gabriel Sérvio

Um novo estudo sugere que a imagem da capa de gelo que cobre o polo sul de Marte, registrada recentemente pelo orbitador Mars Express, não esconde possíveis lagos em condições potencialmente habitáveis.

Cientistas apontam que isso exigiria um aquecimento geotérmico contínuo capaz de manter a água em condições subglaciais. O que não confere, já que abaixo do gelo marciano a temperatura média é de -68 °C, muito além do ponto de degelo da água.

Um reservatório de magma subterrâneo também seria necessário para manter toda a área aquecida, outro cenário improvável, dada a falta de atividade vulcânica em Marte.

Vale lembrar que a possibilidade de encontrar lagos no Planeta Vermelho foi levantada pela primeira vez em 2018, quando a Mars Express explorou a calota polar sul do planeta. Na época, o orbitador detectou uma série de pontos brilhantes, sugerindo a presença de um grande corpo de água líquida de cerca de 20 km abaixo de uma camada de 1,5 km de gelo sólido.

O cientista planetário Carver Bierson é um dos especialistas que questiona se há algo mais que poderia explicar os reflexos brilhantes vistos no radar. Em sua pesquisa, ele descreve outras substâncias que podem explicar o ocorrido.

Minerais congelados podem gerar reflexos brilhantes

Imagem de radar mostra que Marte pode ter dúzias de lagos de água em seu pólo sul, embora hipótese ainda não esteja confirmada
Pontos coloridos representam reflexos de possíveis corpos de água. A variação de cores refere-se à profundidade onde foram encontrados. Imagem: Nasa/Divulgação

Bierson sugere que a refletividade no radar depende da condutividade elétrica do material detectado. A água em seu estado líquido, por exemplo, tem uma “assinatura” bastante distinta, no entanto, o exame das propriedades de outros minerais (como a argila e a salmoura congelada) revelou que outros materiais podem gerar o mesmo sinal observado.

Por fim, segundo o Science News, ainda faltam evidências de cenários plausíveis para encontrar água líquida no polo sul de Marte. Portanto, é provável que os dados estejam apontando realmente para um tipo de processo geofísico que criou minerais ou salmouras congeladas na região.

Os pesquisadores ainda sugerem que se os lagos existissem na calora polar sul, eles seriam provavelmente extremamente frios e compostos por 50% de sal, condições nas quais nenhum organismo conhecido poderia sobreviver.

Fonte: https://olhardigital.com.br/2021/07/16/ciencia-e-espaco/lagos-calota-polar-sul-marte-podem-ser-apenas-miragens-indica-estudo/