WhatsApp pode liberar uso da mesma conta em mais de um dispositivo

A nova funcionalidade possibilitará a sincronização das conversas em ambos os aparelhos

De acordo com o site WABetaInfo, conhecido por revelar antecipadamente novidades relacionadas ao WhatsApp, em breve a plataforma começará a testar o uso da sua conta no mensageiro em mais de um dispositivo – em dois celulares diferentes, por exemplo.

Atualmente, o WhatsApp só libera o uso de uma conta por celular. A nova funcionalidade possibilitará a sincronização das conversas em ambos os aparelhos, permitindo que você continue uma mesma conversa a partir de qualquer dispositivo.

Além dessa, uma outra possibilidade também poderá ser oferecida aos usuários: utilizar o WhatsApp Web ou Desktop sem que o smartphone esteja ligado.

A ferramenta surgiu em setembro de 2020 e foi disponibilizada para usuário do WhatsApp Beta, a versão de testes do app. No entanto, existe a possibilidade de a empresa abrir a novidade a mais usuários.

A previsão é lançar primeiro a versão de uso do WhatsApp Web com o aparelho desligado ou sem internet.

Disputa do WhatsApp com o Telegram

As atualizações no WhatsApp trazem uma maior concorrência com seu rival Telegram, que tem se destacado no mercado de aplicativos de mensagens. Os recursos citados, sincronização de mensagens de uma mesma conta em dois dispositivos e WhatsApp Web mesmo sem conexão com o celular, já existem há certo tempo no Telegram, o que comprova o intuito da empresa com ícone verdinho de acompanhar as tecnologias oferecidas pelo concorrente.

Entre outras opções que o aplicativo também está capturando do Telegram, podemos citar as funções de aceleração de áudio e mensagens que somem automaticamente.

Recentemente, as duas empresas se alfinetaram no Twitter após o Telegram provocar o WhatsApp com uma imagem onde relembrou a evolução do ícone da lixeira do Windows, na qual o logo do WhatsApp surgiu estampado no cesto e o do Facebook jogado dentro do lixo.

Em resposta, a conta verificada do ‘Whats’ respondeu: “Administrador do Telegram: ‘… e o que as pessoas não sabem é que não somos criptografados de ponta a ponta por padrão’”, rebateu.