Atleta de Irati participa de Triathlon Extremo em Santa Catarina

 O sargento do corpo de Bombeiros e triatleta iratiense, Erinton Machado, participou de mais uma prova neste final de semana. Dessa vez a competição foi o Fodaxman, um triathlon extremo que ocorre em Santa Catarina, que além de contar com longo percurso, também tem características que aumentam o grau de dificuldade para a conclusão da prova, como muita subida e variação térmica.

 O sargento do corpo de Bombeiros e triatleta iratiense, Erinton Machado, participou de mais uma prova neste final de semana. Dessa vez a competição foi o Fodaxman, um triathlon extremo que ocorre em Santa Catarina, que além de contar com longo percurso, também tem características que aumentam o grau de dificuldade para a conclusão da prova, como muita subida e variação térmica. A saída foi na Lagoa do Faxinal em Balneário Rincão e a chegada em Urubici. Erinton teve mais uma vez um bom desempenho, ficando em 5º lugar geral na categoria masculina. Ele concluiu o percurso em 13 horas e 46 minutos. Foram 3,8km de natação, 180km de ciclismo e 42 km de corrida.

Por não ser uma prova para iniciantes, Erinton precisou encaminhar um currículo relatando as provas que já participou anteriormente. Após a análise, apenas 50 foram selecionados para competir. Somente atletas com experiência em provas de endurance foram selecionados, explica o triatleta.

Segundo a organização, a competição conta com variação térmica (de 5º a 35º) e muita subida, com 3.500m de altimetria acumulada no ciclismo e 1.200m de altimetria acumulada na corrida, incluindo os temidos Serra do Rio do Rastro e Morro da Igreja. A chegada ocorre a 1.818m acima do nível do mar. Erinton conta que durante o ciclismo a temperatura chegou a 34º C, num percurso com muita subida. A corrida iniciou às 13h30 e no quilômetro 25 começou a chover, e a temperatura despencou para 16º C. Os 16 quilômetros finais da maratona é a subida do Morro da Igreja, com vento muito forte, relata.  

A primeira prova realizada foi a de natação, que começou às 5h da manhã, no escuro. O triatleta explica que nessa prova cada atleta tinha que contar com a sua equipe de apoio, para dar suporte durante o trajeto. A sua contou com os atletas Paulo Vitor do Prado e Valdir do Prado, que ficaram responsáveis pela sua hidratação, alimentação e suporte mecânico. Ao total, participaram 44 triatletas, sendo quatro mulheres, de 10 Estados do Brasil, mais o Distrito Federal.