Recorde nacional dos 3.000 metros com barreira, Tatiane Raquel levou o nome do Paraná a Tóquio

Ela voltou para casa com um desempenho profissional marcante para sua carreira e para o esporte paranaense: o recorde brasileiro em sua categoria. Líder do ranking sul-americano e 18ª no ranking mundial, a atleta comenta suas conquistas e histórias no esporte no novo podcast publicado na página da Paraná Esporte

AEN

A londrinense Tatiane Raquel da Silva viveu o sonho de todo atleta ao disputar os Jogos Olímpicos 2020, em Tóquio. Tatiane, que compete na prova dos 3.000 metros com barreiras, não conseguiu se classificar para a final de sua modalidade, mas voltou para casa com um desempenho profissional marcante para sua carreira e para o esporte paranaense: o recorde brasileiro em sua categoria.

Líder do ranking sul-americano e 18ª no ranking mundial, a atleta comenta suas conquistas e histórias no esporte no novo podcast publicado na página da Paraná Esporte. No bate-papo, Tatiane Raquel fala de sua trajetória no esporte, as conquistas, os desafios e a alegria da vitória.

O podcast já tem 17 episódios publicados. O projeto apresenta personagens e narra histórias de competições, ações esportivas que mudam as vidas das pessoas e, principalmente, um encontro com atletas, técnicos e profissionais cujas carreiras são inspiradoras. A ideia é aproximar cada vez mais o público dos esportistas paranaenses e dar continuidade ao trabalho e ações do Governo do Estado nesta área, mesmo durante a pandemia.

SEGUNDA TEMPORADA – O episódio anterior foi com Clodoaldo Silva. Conhecido como o “Tubarão Paralímpico”, o nordestino possui uma carreira impressionante, tendo participado de cinco paralímpiadas e conquistado 14 medalhas entre as edições. Também já participaram Dayane Camillo, atleta de ginástica rítmica duas vezes campeã dos Jogos Pan-Americanos e duas vezes finalista de Jogos Olímpicos; a curitibana Joyce Batista, ouro nos Jogos Pan-Americanos de Havana (Cuba), em 1991.

Já foram entrevistados Giba, do vôlei, campeão olímpico, tricampeão mundial e eleito MVP (melhor jogador) em Olimpíada, Copa do Mundo, Campeonato Mundial e Liga Mundial; Jovane Guissone, medalhista olímpico; Marcelo e Eliseu Santos, dupla da bocha adaptada; e Danilo Takigawa, ex-atleta da seleção brasileira de beisebol.

PRIMEIRA TEMPORADA – Na primeira temporada do programa, disponibilizada em 2020, foram seis episódios. Participaram Ágatha Bednarzuk, atleta olímpica do vôlei de praia que também participou nos Jogos de Tóquio; Zé da Cufa – presidente da Central Única das Favelas; Clodoaldo Zafatoski, atleta de esgrima, e Marcelo Nunes Monteiro, diretor de Esporte da Associação dos Deficientes Físicos do Paraná (ADFP).

O projeto também trouxe personagens como Renata Pozzi, coordenadora do projeto Maestro da Bola; Rolando Ferreira, ex-jogador de basquete da Seleção Brasileira e primeiro brasileiro a jogar na NBA; e Leandro Vargas, coordenador pedagógico do curso de especialização em Gestão Pública do Esporte da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Fonte: https://www.aen.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=114614&tit=Recorde-nacional-dos-3.000-metros-com-barreira-Tatiane-Raquel-levou-o-nome-do-Parana-a-Toquio