Estado distribui 13 mil testes rápidos para aplicação em gestantes e puérperas

O material faz parte da remessa de 98 mil testes enviada na semana passada pelo Ministério da Saúde e está sendo encaminhado às 22 Regionais de Saúde que farão a entrega a 141 hospitais e maternidades, públicas e privadas de todo Estado

A Secretaria de Estado da Saúde começou nesta segunda-feira (14) a distribuição de 13 mil testes rápidos para pesquisa do antígeno viral SARS-CoV-2 exclusivamente em gestantes e puérperas.

O material faz parte da remessa de 98 mil testes enviada na semana passada pelo Ministério da Saúde e está sendo encaminhado às 22 Regionais de Saúde que farão a entrega a 141 hospitais e maternidades, públicas e privadas de todo Estado.

“O objetivo é identificar gestantes e puérperas infectadas pelo coronavírus assintomáticas e iniciar o mais rápido possível a assistência dessas mulheres”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Além do teste, a Sesa enviou documento às Regionais com as recomendações para que o fluxo desta ação aconteça de forma segura e agilizada em todas as instituições consideradas porta de entrada para grávidas e mulheres no puerpério. O quantitativo segue de acordo com o número de nascimentos/mês registrado pelas instituições.

“Orientamos que todas as gestantes e puérperas acolhidas na Atenção Hospitalar devem passar primeiramente por triagem respiratória; na sequência, pelo teste rápido por antígeno e, em caso de resultado positivo, devem ser encaminhadas para testagem por RT-PCR e imediato isolamento”, afirmou a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa, Maria Goretti David Lopes.

“As manifestações clínicas observadas em gestantes e puérperas infectadas pelo coronavírus são amplas, variando o quadro assintomático a grave e potencialmente fatais”, acrescentou a diretora.

A organização dos fluxos de atendimento das gestantes e puérperas previstos para a triagem respiratória, testagem rápida e demais encaminhamentos pertinentes deverão ocorrer em consonância com as diretrizes estabelecidas em cada ponto da Atenção Hospitalar, pela Comissão de Controle de Infecção Hospitalar de cada instituição.

DADOS – No ano passado ocorreram 80 óbitos maternos totais no Paraná; 67 declarados no Sistema de Informação sobre Mortalidade e 13 em processo final de análise, sendo que 17 desses foram por Covid-19, o que representa 21,2%.

Já neste ano, até a primeira semana deste mês, foram registrados 79 óbitos maternos; 57 declarados no Sistema de Informação sobre Mortalidade e 22 em processo de análise, sendo 53 por Covid-19, ou seja, 67%.

“Diante do contexto da pandemia as ações de atenção e vigilância em saúde são imperativas; no final da semana passada a Sesa recomendou, por meio de Nota Técnica (nº 01/2021), a vacinação de gestantes sem comorbidades, com imunizantes que não contenham vetor viral, neste caso com as vacinas da Pfizer e Coronavac. São várias medidas adotadas simultaneamente para a saúde da gestante”, disse Maria Goretti.

TESTES – Dos 98.275 testes rápidos de antígeno do Ministério da Saúde, a Sesa já havia distribuído cerca de 85 mil para os municípios para o desenvolvimento da estratégia de rastreio, monitoramento e isolamento de contatos relacionados à Covid-19.

Este exame é feito por meio de coleta de amostra da secreção nasofaringe, capaz de detectar o vírus Sars-CoV-2 com apresentação do resultado em até 15 minutos.

Relação do quantitativo testes por Regional de Saúde:

Paranaguá –  325 unidades

Curitiba – 3.075

Ponta Grossa – 800

Irati – 250      

Guarapuava –  650

União da Vitória – 275       

Pato Branco –           475    

Francisco Beltrão – 450    

Foz do Iguaçu – 575

Cascavel – 750

Campo Mourão – 525        

Umuarama – 375    

Cianorte –      150    

Paranavaí –   350    

Maringá –       825    

Apucarana  – 475    

Londrina – 1100      

Cornélio Procópio – 250    

Jacarezinho – 400    

Toledo – 500

Telêmaco Borba – 125       

Ivaiporã – 300