Confidencial
O placar da região

Pequenas diferenças

Em vários municípios da região, as diferenças foram muito apertadas. A menor foi a de Guamiranga onde, do primeiro para o terceiro, foi de apenas 1,88%. Mas como Marcos Chiaradia está recorrendo de uma condenação, seus votos no site do TSE aparecem como nulos. Diferente de outros municípios onde o TSE já aponta o vencedor, em Guamiranga ainda estamos no breu. Do primeiro para o segundo foram apenas seis votos. Bota disputa nisso.

Fazendo sofrer

Em Teixeira, foi outro local onde os candidatos tiveram que ter coração forte. Horas na frente, horas a trás, a disputas estava muito acirrada e teve momentos que se chegou a ter 16 votos de diferença. O final lacrou com 150 votos a favor de Lula Thomaz, lá foi uma briga de “Titãs”, já que os dois candidatos são fortíssimos por ali. O atual prefeito Lula enfrentou o seu antecessor Ivanor Muller, e uma disputa assim não poderia ser diferente e fazer todo mundo sofrer. O terceiro candidato foi insignificante na disputa.

Em São Mateus do Sul

A vereadora Fernanda Sardanha levou o cargo do prefeito Luiz Adyr por apenas 1.6%. Isso significa 397 votos de diferença. É também a primeira vez que São Mateus do Sul terá uma mulher como governante. Luiz Adyr foi um prefeito que participou de várias conquistas para o município como o novo hospital, a pavimentação de Irati a São Mateus do Sul, e a rua coberta “Rua do Mate”. Mas não foi suficiente para segurar a eleição.

Na foto

O ex-prefeito Celso Kubaski (Cidadania) venceu na foto uma disputa sem precedentes. Ele já foi prefeito e apoiava o mandato de Bertoldo Rover, mas se afastaram durante o andar da carruagem. Ele venceu dois grupos importantes, mas impediu que a família Pontarolo voltasse ao poder. Celso teve o apoio expressivo do Governo do Estado, o que pode ter dado fôlego suficiente para chegar à frente. Como se usa em termos esportivos do qual Celso é adepto, a vitória “foi na foto”.

Nei foi o mais votado

O atual presidente da Câmara, Nei Cabral (PV), foi o vereador mais votado em Irati. Nei surpreendeu a votação e quebrou um paradigma. Há muito tempo quem ocupou a presidência da Câmara do segundo biênio de uma gestão não se elegia. E se soma a um seleto grupo de três vereadores que conseguiram voltar. Nei, Hélio e Wilson Karas.

Foto: Repordução Facebook

Nas pessoas

O prefeito Jorge Derbli (PSDB) foi reeleito com 46.28%. Mesmo com uma campanha de oito candidatos, Derbli conseguiu colocar uma diferença para o segundo candidato Emiliano Gomes (PSD) de 4.398 votos. Ainda que Derbli optou em permanecer do PSDB, mesmo convidado para assumir o PODEMOS de Cezinha Silvestri e dos três senadores. Isso mostra que os eleitores, principalmente nas cidades menores, votam nas pessoas e não no partido, principalmente nas eleições municipais.

Mais reservada

Em Irati e Prudentópolis, por exemplo, os candidatos vencedores da eleição optaram por conter as comemorações, isso tudo devido à pandemia da Covid que voltou a crescer. Osnei se limitou a fazer uma carreata e nem saiu de dentro do carro, já Jorge Derbli, comemorou com sua família na sua fazenda no Riozinho. Em outros municípios, onde as diferenças foram menores, as comemorações extravasaram e foram as rua, em passeata ou em carro aberto.

Abstenção

A taxa de abstenção (eleitores que não foram as urnas) de Irati chegou a 22,52% nesta eleição. O número é maior que outros anos. Isso se deve a pandemia que cresceu nos últimos dias no município e no em torno. Mas, por outro lado, tivemos ganhos como a limpeza na cidade, onde não vimos aquela imundice de santinho jogado pelo chão como era antigamente.

Câmara renovada

Nei Cabral foi o único candidato a passar da casa dos mil votos. Ele chegou a 1029 votos. Historicamente, foi a maior renovação da Câmara de Vereadores de Irati. Voltamos ver as mulheres na Câmara e sendo bem votada, como foi a Tere da Anapci. Dos eleitos, que ainda não cumpriram mandato na casa são: Tere (PSC), Nego Jacumasso, Cezar Batatinha (PSD) e Cesar Jacumasso (MDB). E voltam para o cenário Nato Kffuri (PSDB), Ailton Laroca (PV) e Ronaldão (PSDB).

Placar

O prefeito Jorge Derbli elegeu seis vereadores de situação. São eles, Nei Cabral, Helio de Mello e Ailton Laroca do PV. Do PSDB elegeu Nato Kffouri, Ronaldão e Wilson Karas. O MDB elegeu Cesar Jacumasso, que pode não se posicionar como oposição. O PSD elegeu Nego Jacumasso e Cesar Batatinha. Já o PSC, só elegeu a Tere da Anapci. Os partidos de linha extremista, como do PCdoB e PDT, não elegeram nenhum vereador. Nem o de extrema direita como o PSL não elegeu nenhum. Mas quem chamou a atenção no processo foi Cezar Batatinha (PSD) que fez 719 votos. Nome e cara nova na política de Irati.

Claudemir voltou

O ex-prefeito de Rebouças, Claudemir Herthel, voltou à vida pública. Ele se elegeu como vereador pelo PSC. Ele apoiou a candidatura de Fabio Seidel que foi muito bem no seu pleito onde enfrentou Luiz Zak, que vai cumprir o seu quinto mandato. A diferença para prefeito na cidade foi de 673 votos, ou seja 7.42%. Numa análise simplória, podemos dizer que se Chico Bier não tivesse saído candidato, as chances de eleição de Fábio Seidel aumentaria significativamente, uma vez que os votos de Bier não iriam para o prefeito Zak. Mesmo assim, Fábio foi muito bem, até mesmo pela pouca estrutura que tinha.

6 - Número de municípios que o PSD venceu na região