Ajude o Samuel a enfrentar a leucemia

Menino luta contra o câncer desde os dois meses de idade, ele e sua família precisam de ajuda financeira, pois o tratamento requer dedicação de todos

O Samuel Henrique de Brito de Lima tem um ano e dois meses de idade, mora em Irati, e enfrenta o câncer desde os dois meses, atualmente, sua família não consegue trabalhar, porque o tratamento exige a dedicação de todos. Quando tinha 10 meses ele fez seu primeiro transplante de medula óssea, mas as células cancerígenas venceram, agora, ele está aguardando o segundo transplante, enquanto este dia não chega, ele, acompanhado de sua mãe, Maristela de Lima, estão fazendo sessões de quimioterapia no hospital Erasto Gaertner, em Curitiba.

A mãe do Samuel contraiu a toxoplasmose quando estava grávida, por isso eles eram pacientes de auto risco e tinham um atendimento mais frequente. Quando Samuel tinha dois meses de idade, o médico solicitou um hemograma completo, que teve o resultado alterado, desde então iniciaram o tratamento.

A intervenção foi ficando cada vez mais forte, Samuel ficou em Curitiba por semanas e até mesmo meses. Sua irmã foi a doadora de medula óssea e era 100% compatível. A mãe explica que são feitos três exames, no primeiro, a medula foi totalmente compatível, no segundo foi 85% e o último foi 55%. Depois do transplante ele ficou por muitos dias em Curitiba, e quando completou um ano a médica explicou à família que o transplante não havia dado certo, pois as células cancerígenas venceram as células doadas pela irmã.

A médica responsável pelo Samuel entrou em contato com outros médicos, e decidiram que seria muito arriscado doar mais células da irmã dele, por isso o encaminharam para o banco de sangue, no qual surgiram doadores compatíveis e em novembro deste ano será feito o segundo transplante.

Maristela fica o tempo todo com o filho, nas sessões de quimioterapia. “Eu fico nas casas de apoio, que fazem um atendimento ótimo, com total higiene e são todas pessoas boas, além de ser gratuito”, a mãe conta que as necessidades básicas dela são supridas, porém, os medicamentos, sucos e alimentos para o filho, que tem uma alimentação totalmente diferente do normal, custam muito caro.

Podemos arrumar formas de ajudar o próximo, mesmo não tendo dinheiro.

Guilherme de Oliveira.

A preocupação da família se estende, não só até o mês que será feito o transplante, mas principalmente, o que virá depois, já que terão de ficar lá por mais de 100 dias para saber se a medula foi aceita ou não. “Eu resolvi pedir ajuda, porque quando descobrimos a doença do Samuel a nossa vida parou, meu marido é pedreiro e jardineiro, mas enquanto eu estou em Curitiba ele precisa cuidar dos nossos outros filhos que ficam em casa”, disse a mãe.

Desde quando Maristela pediu ajuda nas redes sociais, já foi arrecadado, segundo ela, bastante leite e fralda, alguns comerciantes já fizeram suas doações, ela teve ajuda em Irati e em Curitiba também.

Doações podem ser feitas na Caixa AG- 0390 OP- 001 C/C 23871-6. CPF 023.928.249-32 Laetio Antônio Ferreira Borges (padrinho do Samuel). Ou pelo telefone (42) 998755724, falar com Maristela.

INSPIRAÇÃO PARA QUEM QUER AJUDAR

O Guilherme de Oliveira é cabeleireiro e encontrou uma forma de ajudar o Samuel, destinando R$ 10,00 de cada corte de cabelo feminino para a conta do menino. Ele conheceu a história pelas redes sociais, e sentiu a necessidade de exercer a solidariedade. “Depois que conheci a história dele me senti na obrigação de ajudar, como eu não tinha dinheiro meu para doar decidi dor parte do dinheiro do meu trabalho. Embora seja um valor pequeno, minha ideia vai além de ajudar a família do Samuel, quero incentivar outras pessoas e comerciantes a tomarem atitudes similares”, afirma Gulherme.