Guarapuava decreta fechamento do comércio, escolas e serviços não essenciais até 31 de maio

Prefeito Celso Góes (Cidadania) disse ter adotado ‘medidas drásticas’, que começam a valer na quarta (19), pela sobrecarga no sistema de saúde causada pela Covid. ‘Única opção’, afirmou.

O prefeito de Guarapuava, na região central do Paraná, Celso Góes (Cidadania), decretou o fechamento do comércio, escolas, bares, restaurantes e serviços não essenciais até 31 de maio. As medidas começam a valer na quarta-feira (19). Veja as restrições mais abaixo.

O anúncio das medidas contra a Covid-19, classificadas como drásticas pelo prefeito, ocorreu na tarde desta segunda-feira (17) em uma transmissão ao vivo, que contou com a participação virtual do secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto.

 

A pandemia tem atingido proporções assustadoras e isso tem causado um colapso e sobrecarga no sistema de saúde. Nossa única opção é tomar medidas drásticas para evitar a circulação das pessoas e tentar conter essa proliferação dos casos”, disse o prefeito.

 

O secretário de Saúde de Guarapuava, Jonilson Pires, afirmou que 74% das pessoas internadas em UTIs na cidade têm menos de 50 anos. Segundo ele, estão ocorrendo, em média, três óbitos por dia por causa do novo coronavírus.

Já o secretário Beto Preto anunciou que o governo vai providenciar 12 leitos de retaguarda no Instituto Virmond (Hospital Santa Tereza), cinco de UTI e outros seis de retaguarda no Hospital São Vicente, além de três respiradores para a UPA do Batel.

O funcionamento efetivo dos leitos ainda depende das tratativas do governo com os hospitais. O município informou que há cinco pacientes entubados na UPA Batel esperando por leitos de UTI em hospitais.Na região, 50 pessoas aguardam leitos em fila de espera.

De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Guarapuava chegou nesta segunda a 16.062 casos confirmados da Covid-19 e 339 mortes. Desde o início da pandemia, 7.150 pessoas se recuperaram da doença.

Medidas restritivas em Guarapuava:

o toque de recolher passará a ser das 20h às 6h;

mercearias, minimercados, mercados, supermercados, hipermercados, panificadoras, açougues e lojas de conveniência podem funcionar de segunda a sábado das 7h às 20h;

o comércio poderá funcionar somente por delivery de segunda a sexta, das 8h às 18h;

bares, restaurantes e similares também poderão funcionar exclusivamente na modalidade delivery, todos os dias das 8h até meia-noite;

serviços como salões de beleza, barbearias, clínicas de estética e similares devem permanecer fechados;

todos os tipos de estabelecimentos de ensino, públicos ou privados, devem funcionar somente na modalidade virtual;

o transporte público coletivo poderá funcionar diariamente das 6h às 21h, com a ocupação máxima de 50 % da capacidade;

ficará proibida a circulação de pessoas em praças e parques, bem como, a prática esportiva coletiva nesses espaços;

academias e quadras poliesportivas também estarão proibidas de funcionar;

as atividades religiosas presenciais poderão ocorrer diariamente, das 6h às 18h, limitando-se a ocupação de 25% da capacidade;

continuam proibidas atividades que causam aglomerações, como casas de shows, casas noturnas, cinema, eventos sociais e atividades correlatas em espaços fechados ou abertos. Além de reuniões com aglomeração de pessoas, encontros familiares e corporativos.

Em caso de descumprimento, o decreto prevê multas de R$ 250 a R$ 30 mil aos infratores. Conforme o município, o valor arrecadado com as multas aplicadas está sendo revertido na aquisição de insumos para a vacinação da Covid-19.

Acompanhe o vídeo no G1 clicando aqui