Postos de Irati registram preços de até R$ 7,59 por litro após reajuste no valor da gasolina

Na região central da cidade, estabelecimento mais barato passou a cobrar R$ 7,29

Amanda Borges

O anúncio do reajuste de preços da gasolina e diesel para as distribuidoras já começou a impactar o dia a dia dos iratienses. A partir de sexta-feira (11), o motorista precisa encaixar no orçamento valores entre R$ 7,30 e R$ 7,60 por litro abastecido, caso necessite de veículos particulares como meio de locomoção. No caso do diesel, os preços variam de R$ 5,65 até R$ 6,95.

Após consulta em cinco postos da região central de Irati, verificou-se que o valor R$ 7,39 foi o mais encontrado, cobrado em três postos. Apesar disso, o estabelecimento mais em conta reduziu apenas R$ 0,9 em relação a seu concorrente, já que o consumidor do local está pagando R$ 7,29. Em contrapartida, o valor mais pesado para o bolso dos condutores é R$ 7,59.

No caso do diesel, o valor mais cobrado nos postos é R$ 6,95, sendo esse o preço mais alto entre os estabelecimentos pesquisados. Em outro caso, o valor é mais baixo, mas a diferença é apenas de R$ 0,1, sendo vendido por R$ 6,94 o litro. Apesar disso, um dos lugares registrou uma diferença considerável no preço, cobrando R$ 5,65.

Apesar dos motoristas poderem optar pelo menor preço, as consequências financeiras do reajuste são inevitáveis. Em decorrência disso, o Paranapetro, Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lojas de Conveniências do Estado do Paraná, explica que os novos valores impactarão individualmente os consumidores, mas a economia como um todo será afetada.

IMPACTO

Os novos preços refletem diretamente a vida de profissionais e empresas que dependem da gasolina para a realização de seu trabalho. Esse é o caso da Transportadora Malanski, de Irati. De acordo com a assessoria do grupo, ainda não é possível estimar o prejuízo gerado pelo reajuste.

“O que a gente sentiu foi não só volatilidade do preço, mas também ficamos assustados pela falta de mercadoria imediata”. Além disso, grupo relatou que o reajuste com certeza irá refletir no valor dos serviços prestados. Ainda, a assessoria afirma que o valor final do produto transportado pela empresa logicamente subirá. “O aumento acaba influenciando diversos processos da cadeia produtiva do comércio”.

PREÇOS ABUSIVOS

Mesmo diante do cenário turbulento, empresas se utilizaram a situação para tirar proveito dos clientes. Por isso, a Paranapetro alerta que “desde o final de semana algumas distribuidoras já começaram a aumentar os preços de venda para os postos, antes de qualquer anúncio oficial de elevação na Petrobras, alegando uma maior entrada de combustíveis importados no mercado”. Então, fique atento.

Em casos como esse, o Departamento Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-PR), orienta o consumidor a procurar seus direitos. “Caso for constatado que houve abuso nos preços, as empresas estão sujeitas a multas que variam de R$ 700 a R$ 11 milhões”, afirmou a chefe do Procon-PR, Claudia Silvano, para a Agência Estadual de Notícias.