Região totaliza 53 casos suspeitos do Covid-19

Irati, que tem o maior número de casos suspeitos, teve a inclusão de três investigações em um dia, totalizando 27 suspeitas

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou novo boletim do coronavírus nesta terça-feira (24),  totalizando 53 casos suspeitos na região da 4ª Regional de Saúde, sendo cinco em Fernandes Pinheiro; nove em Imbituva; um em Inácio Martins; 27 em Irati; seis em Mallet; três em Rebouças; um em Rio Azul e um em Teixeira Soares.

No boletim ainda não constam os casos descartados, dois de Imbituva e um em Inácio Martins, confirmados pela Secretaria de Saúde de cada município.

A Secretaria de Imbituva também tinha confirmado apenas mais um caso no município e, até a publicação desta matéria, não conseguimos contato com a secretária da pasta para explicar a divegência de dados. 

No Paraná, totalizam 70 casos confirmados da doença, os 10 novos foram contabilizados nas últimas 24h em: Curitiba (6), Telêmaco Borba (1), Paranavaí (1), Cascavel (1) e um caso de paciente residente fora do Estado (Brasília). Os pacientes são sete mulheres e três homens com idades entre 23 e 70 anos. Metade das confirmações são casos que estiveram em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Dubai e Itália.

O panorama da doença no Paraná é de 70 confirmados – 65 residentes no Estado e cinco de outros locais -, 197 descartados e 1.844 em investigação.

A Sesa aguarda a normalização do sistema do Ministério da Saúde para validação de cerca de 600 casos negativos, já diagnosticados e descartados pelo Laboratório Central do Estado (Lacen).

ISOLAMENTO

Quatro pacientes confirmados com o coronavírus estão em isolamento hospitalar, três com quadro clínico considerado leve e um em estado grave.

BOLETIM

O boletim de monitoramento diário da doença foi alterado na somatória para que não ocorram dúvidas com relação à diferença de dados entre o Estado e o Ministério da Saúde.

Pacientes que não residem no Paraná, mas foram diagnosticados e receberam tratamento no Estado são incluídos no boletim separadamente.

O Ministério da Saúde divulga apenas os pacientes que residem no Estado.