Reunião discute implantação do IML e apresenta projeto de Serviço de Verificação de Óbito

Serviço de Verificação de Óbito é o diferencial para a instalação do IML na região

Jaqueline Lopes

A implantação do IML em Irati está mais próxima. Na terça-feira (29), aconteceu uma reunião na Associação dos Municípios do Centro Sul do Paraná (Amcespar) sobre o assunto, e a foi feita a apresentação do projeto de Serviço de Verificação de Óbito (SVO), que também pode ser implantado no município.

Na oportunidade, o médico-legista Dr. André Ribeiro Langowiski explicou que o IML irá funcionar junto do SVO, que é organizado pelos municípios para atender casos de mortes naturais. O IML é um serviço que irá atender, além das vítimas violentas, toda a população que sofre violência sexual e corporal.

Langowiski comentou sobre a equipe necessária para o SVO e como vai funcionar nos municípios o serviço, como ter três médicos patologistas, um responsável técnico, um de plantão, e um com menos de dez anos de formação, além disso, um técnico de enfermagem, técnico de laboratório e auxiliar administrativo. Já para a execução do SVO seria necessário, em relação a equipamentos, dois veículos, um rabecão, telefones celulares e insumos para o laboratório de patologia.

 “A ideia é que a gente consiga abarcar tudo isso e montar a estrutura do IML, agora em Irati, para atender toda a região”.               Médico-legista, André Ribeiro Langowiski

Para o presidente da Amcespar e prefeito de Inácio Martins, Junior Benato, a reunião foi esclarecedora, pois conhece as reivindicações que são antigas e diz que agora estão no caminho certo. Ele também destaca o trabalho da presidente do Conseg, Patrícia da Luz, e da parceria com a Unicentro. “Os dois trabalhando juntos, IML e SVO, vão atender com muito mais em eficiência a nossa região e, realmente, vamos ter um ganho muito mais rápido na liberação dos entes queridos da nossa população”.

Para a implantação do IMl já existe a cessão do terreno pela Universidade Estadual do Centro Oeste (Unicentro), no campus Irati, em que uma parte da área será doado para a construção. Também, a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) tem um projeto padrão para construção do IML, que será doado à Sesa.

O deputado estadual, Ricardo Arruda, foi um dos políticos que ajudou no processo. Ele esteve presente na reunião e comentou sobre esta reivindicação que existe há mais de 30 anos. “Esta demanda chegou para mim no final do mandato anterior, através da Patrícia, presidente do Conseg, e começamos a fazer com o departamento reuniões para ver como poderia aprovar esse IML. Após anos de trabalho, temos o caminho certo através do SVO”, disse. Ele comenta que já protocolou, junto a Sesa, o pedido de consórcio para ser levado ao Governo Federal, e agora o tempo será menor para a implantação. “Em breve, teremos a aprovação do SVO, já temos o projeto, temos o local e creio que o IML vai sair, está bem encaminhado não tem como dar errado. Daqui pra frente o caminho é mais curto, o mais difícil já foi feito”, completa o deputado.

Agora, o próximo passo para a instalação do IML é o reconhecimento que existe a viabilidade de implantação, que é feita pelo Governo do Estado. Já o SVO é parte dos municípios, e tem um financiamento pelo Governo Federal. Após esses trâmites, é possível saber a tabela de valores de transferência, que ainda não está vigente. 

Participaram da reunião, além do médico-legista, do deputado e do prefeito de Inácio Martins e presidente da Amcespar, os prefeitos: de Irati Joge Derbli; de Rio Azul Leandro Jasinski; Fernandes Pinheiro Cleonice Schuck; de Imbituva Celso Kubaski, de Rebouças Luiz Zak; de Mallet Moacir Szinvelski. Os prefeitos de Teixeira Soares e Guamiranga, Lula Thomaz e Marcelo Leite, não puderam comparecer, mas enviaram representantes, os secretários de Saúde, Amauri Klossowski e Glaci Pacheco, respectivamente.