Se não reciclar, o caminhão não vai levar

Coleta de reciclável passa em Irati passa a ser duas vezes por semana. Materiais que não estiverem separados do lixo orgânico serão deixados nas residências

Caminhões de coleta não recolherão se não houver separação/ foto: Fernanda Hraber 

 

Nesta semana, a coleta de materiais recicláveis teve mudanças em Irati. Agora, o serviço, que é prestado por uma cooperativa e uma associação, está sendo realizado duas vezes por semana nos bairros de toda a cidade. Esta medida é uma reestruturação da Secretaria de Ecologia e Meio Ambiente para que a população recicle mais. O lixo orgânico e os materiais reaproveitáveis que não estiverem separados, não serão recolhidos.

Desde outubro do ano passado, a secretaria, Cooperativa Cocair e a Associação Malinoski, estavam estudando as melhorias na coleta reciclável da cidade. “Foi uma conversa em comum acordo e nós acertamos as alterações para melhorar a prestação de serviço à comunidade e, também, a disposição da renda para os trabalhadores das duas entidades”, conta Magda Lozinski, secretária de Ecologia e Meio Ambiente de Irati.

Coleta no centro é no período noturno

Até então, havia uma disparidade na distribuição dos bairros entre a cooperativa e associação. “Agora, o volume de materiais recicláveis está se igualando porque fizemos o acordo de que, em cada semana, uma fica responsável pela coleta em todo o município”. Além do atendimento duplicado nos bairros, a coleta no centro agora passou a acontecer todos os dias, das 18h às 20h.

“Esta foi outra mudança positiva. Como o fluxo de veículos neutraliza no período da noite, optamos por fazer nestes horários por causa do trânsito e pela segurança do pessoal que faz o recolhimento nas ruas”. A secretária pede a colaboração do comércio para que faça a separação e colabore deixando os materiais na calçada ao fim do expediente.

Sem separação, lixo não será levado

Magda comenta que, infelizmente, boa parte da população ainda trata do lixo com descaso, invertendo a separação. “O que vemos no aterro é que muito material reutilizável vai pra lá, enquanto que nossos colaboradores do material reciclável recebem seringas, resto de comida e até animais mortos”, cita.

“As pessoas têm ideia de que aqui é um lixão, mas não é! Aqui, nós reciclamos materiais e não trabalhamos com orgânico”, diz a presidente da Cooperativa Cocair, Rosangela Souza Soares, à reportagem da Folha. Ela mostrou alguns itens que são recebidos pelos colaboradores, como seringas e restos de comida.

Para tentar sanar esta situação, tanto a HMS – empresa que presta serviço de coleta orgânica, quanto a cooperativa e a associação, só farão o recolhimento das sacolas e sacos se o lixo estiver separado. “Com esta medida, queremos que a população, que ainda não faz o processo de reciclagem, agora comece a repensar sua atitude. A reciclagem é fonte de renda, é sobrevivência para muitas pessoas”, lembra Magda.

Depois que os materiais são selecionados, eles vão para o processo da prensa e, em seguida, estão prontos para a comercialização. A venda é realizada pelos próprios colaboradores, que já têm compradores específicos para seus produtos toda a semana.

Lixo X madeira biossintética

Por causa das condições do aterro sanitário, em julho de 2018, a Prefeitura firmou um contrato com a empresa EKT Global, que vai transformar o lixo orgânico de Irati em madeira biossintética. A expectativa é grande em relação a este serviço porque será pioneiro na região. Com o processo de reaproveitamento de todo o tipo de lixo, será possível confeccionar caixas, bancos, pisos e mesas, por exemplo.

A secretária Magda comentou como está o processo da vinda da empresa. “A EKT Global entrou com a documentação junto aos órgãos competentes e está no aguardo das liberações para iniciar a sua instalação em nossa cidade”. O contrato da prefeitura com a empresa é de 30 anos e o local de ocupação é o Condomínio Industrial da Vila São João – onde há o planejamento de alojar a cooperativa e a associação de recicláveis.

NOVO CRONOGRAMA DE COLETA RECICLÁVEL

ALTO DA GLÓRIA – segundas e quintas

ALTO DA LAGOA – sextas

CAMACUÃ – quartas e sextas

CANISIANAS – segundas e quintas

COLINA NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS – terças

CONJUNTO SANTA MONICA – segundas e quintas

CRUZEIRO DO SUL – segundas

DER – terças e quintas

ENGENHEIRO GUTIERREZ – terças e sextas

FERNANDO GOMES – terças e quintas

FLORESTA – terças e quintas

FÓSFORO – segundas e quintas

FRAGATAS – segundas e quartas

JARDIM AEROPORTO – terças e quintas

JARDIM CALIFÓRNIA – segundas e quartas

JARDIM DAS AMÉRICAS – sextas

JARDIM VIRGÍNIA – terças e quintas

JOAQUIM ZARPELLON – terças e sextas

LAGOA DE BAIXO – segundas

LAMIL – terças

MARCELO – terças e quintas

NHAPINDAZAL – segundas e quartas

NOSSA SENHORA DE LUZ – terças e sextas

OURO VERDE – segundas e quartas

PABIS – segundas e quartas

PEDREIRA – terças e quintas

PICHIBILSKI – segundas e quartas

PLANALTO – terças e quintas

PROMORAR 1 – terças e quintas

PROMORAR 2 – terças e quintas

RIO BONITO – quartas e sextas

RIOZINHO – terças e sextas

SANTO ANTÔNIO – quartas e sextas

SÃO FRANCISCO – segundas, quartas e quintas

SESI – terças

STROPARO – segundas e quintas

TUCHOLKA – segundas e quartas

VICENTE MACHADO – terças

VILA MATILDE – segundas e quintas

VILA NOVA – segundas e quartas

VILA RURAL – sextas

VILA SÃO JOÃO – segundas e quintas