Vereador de Prudentópolis condenado por homicídio tem recurso negado

Crime ocorreu em 2009 e o parlamentar Adão Kostecki Primo foi enquadrado nos crimes de tentativa de homicídio e homicídio qualificado, somando 17 anos e 23 dias em regime fechado

Amanda Borges

O vereador de Prudentópolis, Adão Kostecki Primo, teve seu recurso negado no último dia 08 de abril, por definição do Tribunal de Justiça. Ele recorreu a pena de 17 anos e 23 dias, sob a qual foi condenado em fevereiro de 2021.

De acordo com os autos, o acusado não obteve êxito na solicitação de recurso devido as qualificadoras pelas quais o crime foi somado, sendo elas ‘homicídio qualificado’ e ‘meio que dificultou a defesa da vítima’. A defesa do vereador alega que o crime foi cometido em legítima defesa.

O crime

Conforme os autos do processo, Adão Kostecki Primo foi acusado de assassinar Vicente Cravelin e tentar assassinar Márcio Candido em 22 de novembro de 2009, na localidade de Jaciaba, interior de Prudentópolis.

Adão atirou nos dois homens, de acordo com a polícia, na área rural do município. Vicente não resistiu aos ferimentos e veio a falecer. Na ocasião, Adão foi preso, contudo, uma semana depois, a defesa do vereador solicitou um Habeas Corpus para que o cliente respondesse em liberdade. O recurso possibilitou que Adão retornasse as atividades parlamentares.

O julgamento do vereador só veio a ocorrer em 24 de fevereiro de 2021, ocasião na qual Adão foi condenado a 17 anos e 23 dias em regime fechado.

Posicionamento da câmara

Em contato com a Câmara de Vereadores de Prudentópolis, a Casa informou que não pode se posicionar formalmente pois a defesa do vereador deve seguir recorrendo as condenações. De acordo com eles, enquanto não houver uma decisão definitiva da justiça, o mandato de Adão segue sem nenhuma modificação prática.