Padre Francisco Estanislau Soczek: O Padre das vocações e das construções

Primeiro sacerdote ordenado em Irati, conhecido como o padre das vocações e construções, vivenciou intensamente a cultura polonesa adquirida na família

Nelsi Antonia Pabis

Francisco Estanislau Soczek filho primogênito de Antonina Filipak Soczek e José Soczek, nasceu em Tomaz Coelho, município de Araucária em 16 de setembro de 1921. Em 1924, a família transferiu- se para Irati e fixou residência em Nhapindazal, localidade onde se instalaram muitos poloneses e seus descendentes vindos da Colônia Tomaz Coelho. Fez os estudos primários no Colégio Nossa Senhora das Graças, recém fundado pelas Irmãs de Caridade de São Vicente de Paulo, vindas da Polônia. Estudou em língua polonesa e portuguesa. Com sua família sempre frequentou a igreja católica, tendo nos ensinamentos de Cristo, através do Padre Paulo Warkocz, sua maior motivação para a vida sacerdotal. Em 1935 ingressou no Seminário Nossa Senhora de Lourdes, da Arquidiocese de Florianópolis, em Brusque- SC, onde concluiu o curso clássico em 1937. Cursou Filosofia e Teologia no Seminário Maior de Nossa Senhora da Conceição, dirigido pelos padres jesuítas em São Leopoldo –RS, concluído em 1944. Neste período, com a segunda grande guerra,prestou serviço militar no Tiro de Guerra em São Leopoldo.
Primeiro sacerdote ordenado em Irati, em 17 de março de 1945, na Igreja Matriz Nossa Senhora da Luz, pelo Bispo da Diocese de Ponta Grossa, Dom Antonio Mazzarotto. Neste período a Igreja estava em construção. No dia 18 celebrou a primeira missa nesta igreja e no dia 19 na igreja São Miguel, ainda uma capela.
Desde então, a sua vida tornou-se uma batalha a serviço de Deus e do bem- estar das comunidades onde atuou. Devido a sua determinação, dinamismo e dedicação ao trabalho sempre lhe eram atribuídas tarefas difíceis, como evangelizar em lugares de pouco acesso e administrar construções. Uma das suas principais lutas foi o trabalho pelas vocações sacerdotais e religiosas.
Foi nomeado pároco adjunto da Igreja Matriz Sagrado Coração de Jesus em União da Vitória – PR e responsável pelas atividades religiosas em Cruz Machado, na época distrito de União da Vitória, onde permaneceu por dez meses. De lá seguiu para a cidade de Rebouças, onde em 1946, fundou a Paróquia Senhor Bom Jesus; em seguida trabalhou no Seminário São José de Ponta Grossa, onde lecionou a disciplina português e foi vice-reitor.
Em 1949, quando foi criada a primeira faculdade de filosofia de Ponta Grossa, foi convidado a fazer parte do corpo docente. Nesta época foi transferido para Ipiranga, aí permanecendo por mais de dez anos. Foi fundador do ginásio estadual da cidade e administrou a construção da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição. Em 1963, retornou a Ponta Grossa, assumiu o cargo de Reitor do Seminário Diocesano São José, impulsionou a reforma e a construção de mais um prédio, onde atualmente encontra-se instalada a faculdade Cescage.
Em 13 de junho de 1953, participou da inauguração da Capela Santo Antonio ,no Jardim Carvalho em Ponta Grossa; em 1969, participou da criação da Paróquia Santo Antonio, sendo seu primeiro pároco e ali permaneceu por 14 anos. Em 1973, licenciou-se pela Universidade de Passo Fundo em Filosofia, Psicologia e História. Lecionou nos Colégios São Luís, Presidente Kennedy, Meneleude Almeida Torres e Seminário Verbo Divino em Ponta Grossa.
Em 1977, passou por momentos difíceis, acometido por grave enfermidade e, como dizia “restabeleceu- se pela graça de Deus e por sua força de vontade e determinação.” Aos 62 anos por questões de saúde, deixou de exercer algumas atividades na igreja. Ao completar 75 anos, atendendo aos códigos da igreja, deixou de exercer as atividades administrativas.
Na cidade de Ipiranga foi agraciado com o título de Cidadão Honorário. Além da dedicação às causas da Igreja e das comunidades onde atuou, participou da vida da sua família, assistindo nos momentos de dificuldades e compartilhando os momentos de alegria, dentre eles, realizando batizados e casamentos, principalmente, dos irmãos e sobrinhos.
Autodidata, estudou profundamente o comportamento humano, dedicando-se ao estudo da psicologia e parapsicologia. Após deixar as atividades da Igreja, passou a dedicar-se a Endobioterapia, termo por ele criado e que quer dizer “terapia da vida interior”. Prestava apoio psicológico e espiritual aos que o procuravam. Durante vários anos prestou apoio aos alunos da Escola da APAE situada no bairro Jardim Carvalho, em Ponta Grossa. Cultivava verduras em estufa por ele construída, realizava caminhadas e exercícios físicos, além de, semanalmente, dedicar-se a uma distraída pescaria.
No dia 13 de março de 2005, na cidade de Irati, na igreja onde foi ordenado em 1945, foram comemorados os 60 anos de sua ordenação. Organizado pela família, Paróquia Nossa Senhora da Luz e Movimento Serra Clube, a data foi a comemorada com celebração de missa presidida pelo Bispo diocesano, D.SérgioArthur Braschie, com a presença de vários sacerdotes, de paroquianos, familiares vindos de diversas partes do Brasil e grupos vindos de todas as comunidades onde atuou. Na homilia destacou a gratidão. Foi saudado com fogos de artifício, almoço tendo no cardápio o naleszniki,prato típico polonês, seu prato preferido, uma espécie de panqueca recheada com ricota. À tarde,recepção no Seminário Mãe de Deus, do qual foi Reitor em Ponta Grossa, com homenagens prestadas pelos seminaristas, pelo Coral Canta Irati, cânticos poloneses e refeição com cardápio polonês.Também foi homenageado pelos paroquianos da Paróquia Santo Antonio, em Ponta Grossa.
Após as comemorações, continuou as suas atividades rotineiras: caminhadas, pescarias, cultivo da horta, apoio psicológico e espiritual aos que o procuravam.
Faleceu em Ponta Grossa, no dia do Bom Pastor, 06 de agosto de 2009 e foi sepultado em Irati no jazigo da família, ao lados dos seus pais,como era seu desejo.