Laringoscopia: conheça mais sobre esse exame

O exame é útil para diagnosticar lesões localizadas na cavidade oral, orofaringe, rinofaringe, laringe e cordas vocais

Dr. Bruno L. Alencar
Otorrinolaringologista
CRM 18299 RQE 13511

Permitindo que o médico observe as vias aéreas superiores (nariz, laringe e faringe) por meio de um aparelho endoscópio, chamado laringoscópio, o exame é realizado principalmente no diagnóstico de problemas da laringe (via aérea responsável pela produção de som).
A laringoscopia também pode ser útil na realização de intervenções terapêuticas tais como retirada de pólipos e nódulos, cauterização de lesões vasculares, dilatação de estreitamentos, retiradas de corpos estranhos e permite o controle da evolução de algumas cirurgia e patologias.

O que é Laringoscopia? – Indicações


A laringoscopia é uma ferramenta útil no diagnóstico de lesões orgânicas ou funcionais localizadas na cavidade oral, oral, orofaringe, hipofaringe, laringe e cordas vocais. O exame é solicitado nos casos de pacientes que apresentam:
• Tosse crônica ou acompanhada de sangue;
• Dificuldade/dor para engolir ou mastigar;
• Rouquidão, ou disfônica prolongadas;
• Surgimento de aftas com frequência;
• Refluxo gastroesofágico;
• Dor de garganta crônica;
• Suspeita de câncer;
• Tabagismo crônico;
• Sensação de possuir um caroço na garganta;
• Histórico familiar de câncer de cabeça ou pescoço.

Contraindicações:
Por ser um exame considerado simples, cabe ao médico avaliar cada caso especifico, há pacientes que precisam de maior atenção que são os portadores de cardiopatias graves, doenças pulmonares crônicas, distúrbios neurológicos ou alérgicos aos medicamentos usados no exame.