Irati perde escritora e poetisa Olga Grechinski Zeni

Com informações de Herculano B. Neto Aos 97 anos de vida e com um grande currículo de obras escritas e

Com informações de Herculano B. Neto

Aos 97 anos de vida e com um grande currículo de obras escritas e serviços prestados ao município, Irati perdeu na terça-feira, 7 de agosto, a escritora e poetisa, Olga Grechinski Zeni.

A iratiense fez parte da Academia de Letras Artes e Ciências do Centro Sul do Paraná (ALACS), como Patronesse da cadeira nº 26. Durante sua trajetória de vida, escreveu dezenas de obras e participou de edições especiais. Pertenceu a diversas entidades culturais do Brasil e do Exterior.

Olga Grechinski Zeni nasceu em Irati, no dia 09 de agosto de 1921, filha de João Griczynski e Maria Wasilewski Griczynski. Foi casada com José Cantídio Zeni (In Memoriam), com quem teve três filhos, José Eugênio, Raul Marcos, e Arthur Humberto Zeni. Além dos filhos, A poetisa deixa nove netos e três bisnetos.

Com os estudos primários realizados em Irati, Olga concluiu ainda diversos cursos: Propaganda e Promoção de Vendas, Relações Humanas no Trabalho, Curso Prático de Jornalismo, Curso de Oratória, Vocabulário e Redação e Interpretação de Textos.

Em 1971, promoção de Convívio (Sociedade Brasileira de Cultura), se fez presente ao Curso de Palestras sobre os Problemas do Desenvolvimento Brasileiro. Diversos cursos de economia doméstica fizeram parte de seu aprendizado e seu aproveitamento na vida prática de todos os dias e toda sua existência.

Livros publicados e honrarias

Foram dezenas de livros que tiveram a autoria e assinatura da iratiense. Em 1960, o primeiro deles, Poesias; Escrínio, em 1968; ABC da Literatura em Irati, 1969; Fragmentos, em 1971; 2ª Edição Escrínio, 1971; Poesias Livro 1, Escrínio Azul livro II, Símbolos livro III, e Fragmentos livro IV, em 1971, Clarões da Noite ou Perfis edição 1982; Acordes Submissos e Digressões Estilísticas 1984; Idílio Tropical em 1985; Espírito da Floresta e Pássaros Azuis, dois em um, edição 1989, Prosas e poesias, Vagas Insubmissas e Marcos Cambiais 1991; Rufos: Poesias Sempre, edição 2000, Movimento Literário 1985; Antologia de Poesias (Bienal de S. Paulo) 1988; Garimpeiros 2003, Palavras Assumidas 2003; No Limiar da Luz 2003; Poesia Integral Contemporânea 2005, Prosa e Poesia, Barcaça: Décadas de Correspondência Literária entre dois poetas nacionais. Ano 2006, O Grande Objetivo: Bases e Comunicação a Serviço da Oratória (2009); Caminheiros, Irmãos da Jornada (2009).

Os livros: Escrínio, Clarões da Noite ou Perfis, Acordes Submissos e Digressões Estilísticas e Espírito da Floresta e Pássaros Azuis, foram premiados com diplomas e medalhas de ouro, nos grandes concursos internacionais de 1974, 1975,1976 e 1989 e o poema Eu sou o Futuro e a obra Idílio Tropical, receberam diplomas e medalhas de Vermeil nos concursos de 1983 e 1985, (todos esses pela outorga da Academia Internacional de Lutéce, Paris, França.

A iratiense fez parte da Academia de Letras Artes e Ciências do Centro Sul do Paraná (ALACS). Foto: Reprodução