Persistência faz bombeiros salvarem homem que queria se suicidar

Soldado Wellingthon Chepiloski e o capitão Jorge Augusto Ramos – comandante do Corpo de Bombeiros de Irati. Foto: Israel Macedo

Soldado Wellingthon Chepiloski e o capitão Jorge Augusto Ramos – comandante do Corpo de Bombeiros de Irati. Foto: Israel Macedo

Todos os dias eles estão dispostos a ajudar quem precisa. Muitas vezes as situações exigem empenho e muita persistência. Em Irati, no dia 13 de julho, por volta das 15h, uma ligação ao telefone de emergência do Corpo de Bombeiros fez com que um soldado, junto com seu companheiro de plantão, insistisse na busca por uma pessoa que ligou pedindo ajuda, pois devido ao desespero que se encontrava, tinha a intenção de cometer suicídio.

Quem atendeu a ligação foi o soldado Wellingthon Felipe Chepiloski. Ele conta que o homem estava transtornado, chorando muito e que havia falado que tinha tentado se matar na semana anterior, fazendo cortes nos pulsos. Na ligação, que estava com o sinal ruim, pouco conseguia entender o que ele dizia. Fomos tentando colher informações, mas ele não falava, apenas pedia ajuda e dizia que não aguentava mais a situação que vivia e que iria se matar, relata o soldado.

Para conseguir localizar a pessoa, Wellingthon tentou retornar a ligação várias vezes. Também entrou em contato com outros órgãos, como a Santa Casa para saber se alguma pessoa havia dado entrada para atendimento com os pulsos cortados. Também telefonou para a Polícia Militar para ver se o homem havia entrado em contado. Com a PM conseguimos mais algumas informações para chegarmos mais próximo ao lugar onde ele estava, conta.

O soldado lembra que o trabalho de localização da pessoa, que estava na área rural do município não foi fácil, devido o mínimo de informações que possuíam. Tínhamos o primeiro nome e a localidade. Eu e o soldado Venar deslocamos e tentamos encontrar ele. Achamos a casa e conseguimos retirar esse homem de lá.

Wellingthon fala que na casa encontraram o homem escrevendo cartas de despedida e uma corda com o nó feito para se enforcar. Ele chorava, estava ainda muito transtornado. Nos seus pulsos estavam os ferimentos da outra tentativa de suicídio. Junto com policiais militares retiramos tudo que oferecia perigo no local e o encaminhamos para atendimento médico na Santa Casa, onde foi internado, comenta.

O soldado fala que notou a gravidade do caso já na ligação. Percebi que ele precisava de ajuda, mas não encontrava maneira de pedir apoio. Ele enfrenta uma profunda depressão, tomando medicamentos fortes. Estava no seu limite e corremos atrás para salvar essa vida, explica. Wellingthon fala que o momento em que encontraram o homem foi um alívio. Foi gratificante, pois buscamos sempre isso em serviço – poder ajudar quem precisa, ressalta.

Esforço que salvou uma vida

O comandante do Corpo de Bombeiros de Irati, capitão Jorge Augusto Ramos, comenta que esse foi um caso anormal, uma vez que situações de suicídios atendidos são avisados por terceiros e não pela pessoa que tem a intenção de se matar. Os nossos atendentes estão acostumados com uma forma de solicitação, e essa foi diferente. Felizmente tivemos um bom final nessa ocorrência. A pessoa foi socorrida a tempo e levada para o local certo, de atendimento a saúde, ressalta.

O capitão explica que nesse caso foi fundamental os soldados Wellingthon e Venar terem percebido que era uma situação real e não desistirem de encontrar a pessoa, mesmo sem ter a sua localização. Foi um esforço que fez com que não tivéssemos um desfecho ruim, com o registro de mais uma morte trágica no município, acrescenta.

Ramos alerta que pessoas que sofrem de depressão devem procurar ajuda, principalmente no setor de saúde para que a doença não chegue a casos extremos, como foi essa ocorrência relatada. A família, religiosidade, o atendimento médico e psicológico são muito importantes. A depressão tem tratamento, completa.

HOMENAGEM

O soldado Welingthon recebeu uma homenagem na solenidade de 164 anos da Polícia Militar do Paraná. Na ocasião, a sua atitude de persistir em encontrar a pessoa que ligou pedindo ajuda e a busca realizada junto com o soldado Venar foi bastante elogiada pelas pessoas presentes.