Prefeitura estuda utilizar prédio da UPA como nova sede do Erasto 

Unidade de Pronto Atendimento, que já está praticamente concluída poderá abrigar nova sede do HEG. Foto: Assessoria Na última quarta-feira

Unidade de Pronto Atendimento, que já está praticamente concluída poderá abrigar nova sede do HEG. Foto: Assessoria

Na última quarta-feira (10), atendendo a convite do prefeito Jorge Derbli, uma equipe do Hospital Erasto Gaertner se deslocou até Irati para uma visita à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Vila São João. A obra do prédio está praticamente concluída.

O motivo da visita dos profissionais foi avaliar a viabilidade de transferir para aquela estrutura a Unidade Irati do Hospital Erasto Gaertner, que atualmente funciona no prédio da Anapci. A primeira Unidade de Serviço de Oncologia Clínica Adicional do Paraná, que é o nome oficial da entidade local, irá completar um ano neste espaço no próximo dia 24, e as dependências já se apresentam pequenas para a demanda de atendimento, que tem crescido ainda mais.

Durante cerca uma hora, o prefeito e secretários municipais apresentaram as instalações à equipe, para observação de todos os detalhes e ambientes da edificação, que totaliza 1.200 m². Vieram à cidade Adriano Lago, que é o superintendente da instituição, Renato Galvão de Oliveira, assessor de Novos Negócios e Jadis de Santis Junior, engenheiro clínico.

Os profissionais devem avaliar a viabilidade de transferir as instalações. Foto: Assessoria

Manutenção seria inviável

O prefeito Derbli, desde o início de sua gestão, vem buscando alternativas para utilização da edificação da UPA de uma maneira que seja condizente com a realidade financeira do município. Irati não tem condições de arcar com o custo de manutenção mensal de uma Unidade de Pronto Atendimento deste porte, que oscila entre R$ 800 mil a R$ 1 milhão por mês, declarou.

O prefeito comenta que surgiu a ideia da utilização do espaço pelo Hospital Erasto Gaertner, já que o espaço atual conta com uma demanda crescente de atendimentos, ’’Infelizmente novos casos de câncer estão sendo descobertos na região, aumentando o número de pacientes que necessitam de tratamento, com isso estamos avaliando as possibilidades de trazer as instalações para este espaço até que tenhamos nosso sonhado Hospital do Câncer, explica.

Essa preocupação levou várias vezes o prefeito e sua equipe a procurarem o Ministério da Saúde e o Governo do Estado para reivindicar ajuda de custo, ou opção de utilização da área física, que legalmente não pode ser usada para nenhuma outra finalidade que não seja relacionada a saúde. Sondou-se inclusive a possibilidade de transferir o atual Pronto Atendimento 24 horas para o local.

Primeiro contato foi satisfatório

O superintendente Adriano Lago se mostrou satisfeito com este primeiro contato, onde serão realizados os estudos iniciais para projetos futuros. Com muita alegria a gente recebeu o convite da Prefeitura, através do prefeito Derbli, para conhecer esta UPA, toda a sua estrutura, o status atual da obra, para entender não só as características da construção, mas diversos outros aspectos logísticos da região.

Prefeito e secretários municipais apresentaram as instalações à equipe do HEG. Foto: Assessoria

Lago detalhou que, dentro de todos os planejamentos que o Erasto Gaertner tem para dentro do Estado do Paraná, há inclusive a proposta de ampliação de atendimentos para a cidade de Irati e a 4ª Regional, principalmente na área de prevenção de câncer, onde através deste espaço amplo e adequado já disponível poderia vir de encontro a isso. Temos muito interesse em fazer estudos de viabilidade econômica e também que envolva a área de prevenção, algo que poderia ser criado em um projeto em parceria com a Prefeitura, direcionado a toda população de Irati e da 4ª Regional de Saúde do Paraná. Temos o objetivo de criar unidades de prevenção de câncer, principalmente em regiões com incidências de novos casos, para que possamos também diagnosticar logo no início a doença.

A Secretária de Saúde de Irati, Magali de Camargo, explicou que a UPA construída da Vila São João é do tipo 2 e desde o princípio da gestão, a administração municipal tem feito estudos sobre como utilizar o espaço. A UPA tipo 2 requer o trabalho de muitos servidores, e o município não tem como arcar com um custo tão elevado do quadro profissional exigido para uma unidade desta categoria. Magali esclareceu que a Prefeitura avaliou a possibilidade de transformar a instalação em uma UPA tipo 1, que envolveria comprometimento financeiro menor.

O Município de Irati pode usar esta edificação para outros fins de saúde. Esta visita, dependendo da conclusão a ser construída pela equipe técnica do Erasto, pode ser a primeira de várias, para se estabelecer a maneira de instalar nesta estrutura física a Unidade Irati do hospital referência nacional no tratamento oncológico, destaca a secretária. Além dos aspectos físico-estruturais da edificação, também serão observados todos os trâmites legais para uma eventual cessão do prédio, caso isso venha a se concretizar, complementa.