Paraná tem disparo em vendas de Ivermectina três vezes maior que média nacional em novembro

Hidroxicloroquina é líder de vendas no estado

As vendas de Ivermectina, um dos medicamentos mais associados a um possível protocolo de prevenção da doença, apesar de não ter comprovação científica, voltaram a aumentar em novembro em todo o estado do Paraná, quando comparado ao mês anterior. Segundo levantamento realizado pela Linx, líder e especialista em tecnologia para o varejo, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV IBRE), as vendas do medicamento cresceram 86,8% na Grande Curitiba e 93,6% em outros municípios do Paraná, número disparadamente acima da média nacional de 22,3%.

A classe dos medicamentos antirreumáticos, como o Cetoprofeno e a Nimesulida, lidera nas vendas no estado, representando 14,8% do faturamento dentre as dez classes de medicamentos mais expressivas na região metropolitana de Curitiba e 15,1% nos demais municípios. Ainda na Grande Curitiba, os analgésicos e antipiréticos, como Dipirona sódica e Paracetamol, permanecem na segunda colocação, representando 12,5% do faturamento das dez classes com maior destaque, seguidos dos hormônios contraceptivos, com 12,3%. Quando analisados outros municípios do Paraná, os contraceptivos atingem a segunda colocação, contribuindo com 12,6% no faturamento, e a terceira é assumida pelos antidepressivos inibidores seletivos de recaptação de serotonina (SSRI) com 12%. Nacionalmente, a classe mais vendida em novembro também foi a de antirreumáticos, com 14,9% de representatividade no faturamento. Na segunda colocação, com 12%, estão os analgésicos e antipiréticos, seguidos por contraceptivos hormonais (10,9%) na terceira posição.

Paranaense está gastando mais em remédios

No período, o ticket médio gasto em farmácias na região metropolitana de Curitiba aumentou 25,4% quando comparado ao mesmo mês em 2019, enquanto os outros municípios apresentaram alta de 17,8% em relação ao ano anterior, ambos totalizando média de pouco mais de R$ 55,00. Os dados estão acima da média nacional para o período, de R$ 45,00, número 14,9% maior em relação a outubro deste ano e 6,8% maior em relação ao mesmo mês no ano anterior.

Os dados foram obtidos a partir da análise de mais de 12,5 milhões de produtos farmacêuticos e mais de 6 milhões de notas de compra, comparando os meses de novembro de 2018, 2019 e 2020.

Sobre a Linx

A Linx é uma empresa brasileira especialista em tecnologia para o varejo. Líder no mercado de software de gestão, com 45,6% de market share do mercado varejista, conforme atesta o IDC. Toda a expertise da Linx na jornada de compra é transformada em insights fundamentais para atingir o que os varejistas mais esperam: fidelizar seus consumidores e atingir resultados concretos e relevantes. Com capital aberto na B3 desde 2013, a Linx também se tornou a primeira empresa brasileira de software com capital aberto na NYSE, em 2019. A empresa possui mais de 3,5 mil colaboradores distribuídos entre sua sede em São Paulo, 15 filiais pelo Brasil e 5 países da América. Para saber mais, acesse https://www.linx.com.br/imprensa.