IML regional deverá ser uma realidade em breve, afirma Conseg

A presidente Patricia da Luz esteve presente na última sessão ordinária dos vereadores do município e falou sobre o assunto

Assessoria Câmara de Rebouças

A necessidade de instalação de uma unidade do Instituto Médico Legal, o IML, em Irati já é uma demanda antiga, e que irá abranger municípios de abrangência da Amcespar.
A previsão média de investimento necessário para a obra é de R$ 7 milhões. Esses recursos podem advir da Lei de Diretrizes Orçamentárias do Paraná ou de verbas destinadas por deputados tanto estaduais, quanto federais.
Assim, atendendo convite do primeiro-secretário da Câmara de Vereadores de Rebouças, Ricardo Carlos Hirt Junior, a presidente do Conseg, Patrícia da Luz, esteve durante a reunião da Câmara de Vereadores de Rebouças, na noite de 08 de junho para informar que o projeto de implantação do chamado IML regional, caminha a passos largos, deve ser uma realidade em um futuro muito breve, para final de 2022 ou 2023.
De acordo com Patrícia, o IML deverá ser instalado em terreno cedido pela Unicentro, em Irati, em local estratégico para o acesso de veículo que faz o transporte de cadáveres até o instituto.


O presidente da Câmara de Rebouças, Getúlio Gomes Filho, destacou a importância desse instituto. “Essa é uma luta antiga, pois sabemos, por exemplo, do sofrimento de muitas famílias quanto a demora na liberação de corpos, quando se faz necessário o encaminhamento ao IML. Além disso, os IMLs também prestam atendimentos em situações decorrentes de pessoas que sofrem lesões e outras agressões que não levam a mortalidade, nas quais, 95% são perícias em pessoas vivas que procuram a demanda do órgão. Além de que, a falta do IML acarreta diversos problemas à polícia judiciária, já que, quando a infração deixar vestígios, será indispensável o exame de corpo de delito direto ou indireto, não podendo supri-lo a confissão do acusado , podendo, inclusive, prejudicar a persecução penal já que o Código de Processo Penal”, ressalta o presidente.


Vereador pede aquisição de caixas d’água
Na reunião ordinária do Legislativo, o vereador Jaderson Molinari, por meio de requerimento, solicitou ao Executivo Municipal para que seja realizado um cadastro de famílias junto a Defesa Civil municipal, que sofrem com a falta de água, principalmente em períodos de estiagem. Além disso, que dentro da viabilidade técnica sejam adquiridas caixas d’água de grande porte para as famílias cadastradas pela Defesa Civil, para que dessa forma a prefeitura – com o caminhão pipa- possa realizar o abastecimento com água potável.
“O caminhão pipa do município já realiza esse abastecimento diretamente nos postos das propriedades, mas com a seca, a terra absorve toda a água colocada; não resolvendo o problema dessas famílias”, comentou o vereador.
Jaderson Molinari também comentou que está mantendo contato com representantes em nível estadual, buscando viabilizar a perfuração de mais poços artesianos, para contemplar mais famílias e regiões.


Lei de incentivo aos produtores rurais
O primeiro secretário da Câmara de Rebouças, Ricardo Carlos Hirt Júnior, apresentou requerimento, solicitando ao Poder Executivo informações sobre a apreciação do Anteprojeto de Lei 01/21, de sua autoria, o qual dispõe sobre a criação do Programa Nota Premiada do Produtor Rural no âmbito municipal de Rebouças.
O presidente da Câmara, Getúlio Gomes Filho, solicitou ao autor para que possa assinar junto esse requerimento ao Executivo.
De acordo com o vereador, a iniciativa visa, assim como ocorreu no passado recente com contribuintes do IPTU local, ser uma forma de incentivo aos produtores na emissão de notas fiscais, o que agrega mais recursos ao município, e uma forma de compensação aos mesmos por sua contribuição no incremento econômico local.


Fisioterapeutas no pós-Covid
O vereador Ricardo Carlos Hirt Junior, via requerimento ao Executivo, solicitou que seja feita uma análise para disponibilizar serviços de fisioterapia as pessoas no município, que se encontram em recuperação pós-Covid.
De acordo com Ricardo, é necessito esse tipo de tratamento tendo em vista que esta iniciativa tem a pretensão de fortalecer e melhorar a recuperação dos pacientes que foram acometidos pela doença, ajudando-os a voltar às suas atividades normais.